Política

Senadora Regina Sousa desafia Moro a entregar as chaves do triplex a Lula

Regina Sousa postou um o desafio, em tom de desabafo, no Facebook, onde acusa o magistrado de preconceito social
Fonte: Paulo Pincel | Editor: REdação 22/09/2016 09:43 - Atualizado em 18/11/2016 15:34
Lula e Sérgio Moro vão ficar frente a frente Lula e Sérgio Moro vão ficar frente a frenteFoto: Montagem/Paulo Pincel

A senadora Regina Sousa (PT-PI) desafiou o juiz Sérgio Moro a entregar a Lula as chaves e a escritura do tríplex, motivo da denúncia que transformou o ex-presidente em réu na Lava Jato. “Prenda logo este peão, seu Moro, produza logo o seu espetáculo, talvez já com exclusividade vendida para a rede Globo, mas por favor, tenha a dignidade de entregar a ele a escritura e a chave do apartamento. Assim todo mundo vai ter a convicção de que o 'apê' é dele”.

Regina Sousa postou um o desafio, em tom de desabafo, nas redes sociais (facebook) onde acusa o magistrado de preconceito social. “Lula réu. ‘Eu te condeno por teres ousado ser o que não podias ser’. É tudo uma questão de classe social, Lula não cabe na moldura projetada pela elite brasileira, ele ‘desafinou o coro dos contentes’, e vai pagar caro por isso”, avisou.

Ainda segundo a senadora, Lula não “cabe” no “modelito” usual envergado pela elite brasileira. “Alguém imagina o Lula de fraque? Seria baile de carnaval certamente, já FHC [Fernando Henrique Cardoso] foi desenhado para o fraque, fica um príncipe. FHC pode ter apartamento em Paris, valendo dez vezes o triplex do Guarujá, sendo professor. Lula não pode morar no Guarujá, ele não combina com a arquitetura moderna, vai enfeiar o espaço que os riquinhos deste país pensam que são donos”,

Na terça-feira (20), o juiz Sérgio Moro aceitou a denúncia do Ministério Público Federal contra o ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva acusado dos crimes de corrupção ativa, passiva e lavagem de dinheiro.

Por decisão de Sérgio Moro, também viraram réus e serão julgados a ex-primeira-dama do país, Marisa Letícia, e o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto; além do empresário Léo Pinheiro e dos funcionários da empreiteira OAS Paulo Gordilho (ex-diretor), Agenor Franklin Magalhães Medeiros, Fábio Hori Yonamine e Roberto Moreira Ferreira.

Comentários