Geral

Seminário mostra a importância dos animais ameaçados de extinção

pesquisa embrapa animais extinção
Fonte: embrapa 29/04/2014 05:54 - Atualizado em 17/11/2016 23:54
Os resultados de seis anos de pesquisa de avaliação e caracterização de produtividade – ganho de peso, carcaça e qualidade da carne - do bovino Curraleiro Pé-Duro, do ovino Santa Inês e dos caprinos Marota e Nambi, serão mostrados no Seminário Recursos Genéticos Animais para o Agronegócio Brasileiro.

O evento, uma realização da Embrapa Meio-Norte, será desenvolvido nos dias 15 e 16 de maio, em Teresina e no município de Campo Maior, no Piauí. Em Teresina, o seminário acontecerá no auditório central da Unidade. Em Campo Maior, a programação prevê um dia de campo na Fazenda Sol Posto, de propriedade da Embrapa.

O seminário, segundo o pesquisador Geraldo Magela Cortês Carvalho, busca a conscientização dos pecuaristas sobre as vantagens do uso desses animais para cruzamentos. “O objetivo do trabalho é a sustentabilidade da pecuária na região, já que esses animais estão em risco de extinção”, acrescentou.

Geraldo Magela lembrou que o Curraleiro Pé-Duro, o Santa Inês, Marota e o Nambi são animais resistentes a doenças endêmicas da região e adaptados ao calor intenso e às forrageiras nativas, como o Mata-Pasto, que é uma leguminosa encontrada em todo o Nordeste brasileiro.

Carne de qualidade

A programação do dia 15 prevê cinco palestras e uma visita técnica. O Seminário começa às 8:30 horas, com o chefe-geral, Luiz Fernando Leite, falando da importância dos projetos de preservação das raças em risco de extinção. Em seguida, o pesquisador Maurício Mello de Alencar, da Embrapa Pecuária Sudeste, fala sobre os Cruzamentos para produção de carne com qualidade no Brasil.

Avaliação de carcaça, carne e pele é o tema da palestra seguinte, que será feita pelo pesquisador Rymer Ramiz Tulio, também da Embrapa Pecuária Sudeste. Após discussões e um rápido intervalo, recomeçam as palestras. O pesquisador Geraldo Magela e o analista Anísio Ferreira Neto vão detalhar o Uso de taurinos tropicalmente adaptados em cruzamentos industriais e os resultados preliminares no Piauí.

À tarde, é a vez de Airton Leôncio Silva e Paola Oliveira, técnicos do Ministério da Agricultura no Piauí, entrarem em ação. Eles vão abordar o Estado sanitário do Piauí e Maranhão como área livre de febre aftosa. Logo depois, os pesquisadores Tânia Maria Leal e Raimundo Bezerra Neto, da Embrapa Meio-Norte, farão uma palestra com o tema Conservação, caracterização e uso de recursos genéticos ovinos da raça Santa Inês.

Fechando o ciclo de palestras, a pesquisadora Adriana Mello de Araújo falará sobre Conservação, caracterização e uso de recursos genéticos caprinos da raça Nambi. A programação termina com uma visita ao aprisco de cabras Nambi, na Unidade.

O dia de campo na sexta-feira 16, tem uma extensa programação, com seis estações, começando às 8 horas. A primeira é sobre os Rebanhos Nelore e Curraleiro Pé-Duro: histórico e características zootécnicas. A segunda mostrará o Curraleiro Pé-Duro em cruzamento industrial para abate: produtos de fêmeas Nelore x Crurraleiro inseminadas com Angus x Senepol.

Apresentação e análise zootécnica comparativa de novilhos: cruzamento entre Nelore e Curraleiro Pé-Duro e Curraleiro Pé-Duro terminados, é o foco da terceira estação. A quarta abordará a Avaliação de progênie de touros Curraleiro Pé-Duro com vacas Nelore: ação pioneira no Brasil. As duas últimas estações focam o Rebanho ovino Santa Inês de conservação “in situ” em terminação com pastagens melhoradas e Rebanho caprino da raça Marota de conservação “in situ”, respectivamente.

Comentários

Matérias Relacionadas