Mundo

Rússia fornecerá em duas semanas sistema de mísseis antiaéreos à Síria

As forças armadas sírias receberão um sistema capaz de interceptar ataques aéreos a uma distância superior a 250 quilômetros
Fonte: Noticias ao minuto | Editor: Redação 24/09/2018 09:03
Mísseis MísseisFoto: Reprodução

A Rússia anunciou nesta segunda-feira (24) que fornecerá em duas semanas um sistema com mísseis antiaéreos S-300 à Síria, para permitir que as forças do governo sírio possam se defender contra ataques aéreos, como o lançado na semana passada por Israel.

"As forças armadas sírias receberão um sistema capaz de interceptar ataques aéreos a uma distância superior a 250 quilômetros e simultaneamente atacar vários objetivos", disse o ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu, em comunicado divulgado pelo seu gabinete.

Shoigu deixou claro que a decisão de fornecer a Síria com os S-300 foi tomada em represália pelo ataque aéreo israelita contra instalações sírias que causou, há uma semana, a queda de um avião militar russo com 15 pessoas a bordo.

"Eu quero enfatizar que em 2013 havia suspendido a entrega dos S-300 para a Síria, a pedido do lado israelita. Agora, a situação mudou e a culpa não é nossa", sublinhou o ministro russo.

A Rússia espera que a chegada dos S-300 à Síria "arrefeça as 'cabeças quentes' contra ações que ponham em perigo os nossos militares", disse Shoigu, em advertência a Israel. "Caso contrário, seremos forçados a reagir de acordo com a situação", disse o ministro russo.

Queda do Il-20

Nesse domingo(23), o Ministério da Defesa da Rússia culpou Israel pela queda do avião russo Il-20 por parte da defesa antiaérea síria no dia 17 de setembro. A queda do avião russo ocorreu na sequência de tentativas israelitas de bombardear o território de Latakia e da subsequente resposta das forças de defesa antiaérea síria.

O porta-voz do ministério russo, general Igor Konashenkov, descreveu como "falta de profissionalismo" e "negligência criminosa" as ações dos pilotos israelitas na área do acidente do avião russo e acusou-os de usar o aparelho como um escudo contra a defesa antiaérea síria.

Os S-300, semelhantes ao Patriot US, permitirão à Síria enfrentar um ataque aéreo israelita ou norte-americano com caças da classe Stealth, helicópteros, bombardeiros e mísseis balísticos, segundo os especialistas. Essas baterias, que têm alcance de até 250 km, podem permitir que a Síria use um escudo antimíssil invulnerável para defender as suas infraestruturas vitais contra um possível ataque externo.

Comentários