Ciência & Tecnologia

Rosto de Deus aparece em uma das galáxias do Universo

Os astrônomos que trabalham no Observatório Europeu do Sul receberam as maiores e mais detalhadas imagens do "Rosto de Deus"
Fonte: Sputnik News | Editor: Redação 25/10/2017 12:11
Rosto de Deus Rosto de DeusFoto: 24 Horas News

O telescópio VLT ajudou os cientistas a receber fotos mais detalhadas da galáxia NGC 1316, que costuma ser denominada como “Rosto de Deus”, bem como dos seus inúmeros vizinhos, comunicou o Observatório Europeu do Sul.

Segundo a ciência atual, as colisões de galáxias são um acontecimento comum. De costume, elas levam ou a uma fusão das galáxias, ou à eliminação do elemento menor da colisão.

Em qualquer caso, os cataclismos desse tipo normalmente provocam surtos de nascimento de estrelas ou reestruturações globais dentro das galáxias. O estudo das consequências desses processos pode ajudar os cientistas a entenderem por que uma parte das galáxias se apaga rapidamente após tal tipo de colisões.

A galáxia NGC 1316, na constelação da Fornalha, é um exemplo típico de um "acidente cósmico", o que se prova pela sua aparência lentiforme e ausência de aglomerações de corpos esféricos nas suas cercanias.

Considerava-se até agora que ela sofreu apenas uma colisão com outra "família estelar", que se deu cerca de 3 bilhões de anos atrás, mas há pouco os cientistas descobriram que ela absorveu toda uma série de galáxias pequenas.

Estas colisões, segundo revelaram as últimas imagens tiradas pelo Hubble, fizeram as nuvens de gás se expandirem e se misturarem dentro da NGC 1316. Isto, por sua vez, levou ao nascimento de inúmeras estrelas, cujo brilho iluminou de maneira especial as aglomerações de gás e pó, fazendo-as parecer com as representações nebulosas de Deus dos quadros dos artistas do Renascimento.

Os astrônomos que trabalham no Observatório Europeu do Sul receberam as maiores e mais detalhadas imagens do "Rosto de Deus" e das galáxias vizinhas com a ajuda do telescópio VLT do observatório de La Silla, localizado nas montanhas do Chile.

Nestas fotos, além da própria NGC 1316, se pode ver a sua vizinha mais próxima, a galáxia espiral NGC 1317, vista por nós quase em posição transversal, bem como centenas de outras "megalópoles estelares" dentro da enorme aglomeração de galáxias da constelação da Fornalha.

Esta fotografia gigantesca com cerca de 2,3 bilhões de pixels pode, segundo esperam os cientistas, ajudar a entender como interagem os membros da enorme família de galáxias e que colisões podem ocorrer na NGC 1316 e seus vizinhos em um futuro breve.

Comentários

Matérias Relacionadas