Cultura

Roger Waters termina último show no Brasil mais cedo por conta de temporal

O imprevisto impediu o ex-integrante da Pink Floyd de cantar a clássica "Mother", durante a qual os dizeres "Ele Não" vinham sendo projetados no telão.
Fonte: Notícias ao Minuto | Editor: Redação 31/10/2018 10:47
Roger Waters Roger WatersFoto: Sputnik Brasil

O último show de Roger Waters no Brasil terminou mais cedo por causa do mau tempo. Por volta das 23h, o cantor avisou o público do estádio Beira Rio, em Porto Alegre, que iria pular para a última música em função de um alerta de temporal.

A chuva, que começou na metade do show, realmente se intensificou, mas não veio acompanhada de ventos fortes. O imprevisto impediu o ex-integrante da Pink Floyd de cantar a clássica "Mother", durante a qual os dizeres "Ele Não" vinham sendo projetados no telão. Mesmo assim, não faltaram protestos políticos. Mais uma vez, crianças usando túnicas laranjas e capuzes pretos subiram ao palco representado prisioneiros durante o clássico "Another Brick in the Wall". Ao final da música, já sem os capuzes, os jovens tiraram as vestes para apresentar camisetas com a mensagem "resista".

Assim como nas outras apresentações pelo Brasil, o público se dividiu. Antes mesmo de o show começar, um grupo de jovens já gritava "Ele não". Um pouco à frente na plateia, três senhores mais velhos reclamavam: "Poxa, a eleição acabou..". Thiago Faccini, produtor rural de Cruz Alta, trouxe o filho de 13 anos para ver o show. Os dois vieram vestidos com a camiseta do Brasil.

Faccini disse que esperava ver mais gente da mesma forma: "Se o Roger Waters pôde dar sua mensagem, nós também podemos dar nossa mensagem como brasileiros e eleitores", disse ele, que acredita que o cantor errou ao se manifestar sobre a política brasileira. Já a psicanalista Luciana Cezar disse que o show foi uma lição de humanidade e só lamentou que não tenha havido uma menção direta ao nome de Bolsonaro: "Eu esperava que ele pudesse se arriscar mais. Mas eu acho que ele deixou o recado".

Além das tradicionais críticas a Donald Trump, Vladimir Putin e ao primeiro-ministro de Israel Benjamin Nethanyahu, no show em Porto Alegre Roger Waters mirou em Mark Zuckenberg, a quem chamou de censor da internet. No telão, uma mensagem dizia. "Você pode ser nosso brother, ou nosso big brother. Você não pode ser os dois."

A apresentação em Porto Alegre encerra a polêmica passagem no Brasil da turnê Us+Them, depois de passar pelas cidades de São Paulo, Brasília, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro e Curitiba. Depois do show na capital gaúcha, Waters seguirá com a turnê Us + Them para Montevidéu, no Uruguai. Depois, vai a Buenos Aires (Argentina), Santiago (Chile), Lima (Peru), Bogotá (Colômbia) e San José (Costa Rica).

Comentários