Política

Deputados garantem apoio e rejeitam pedido de afastamento de secretário de Justiça

Robert Rios propôs afastar Daniel Oliveira após criança ter sido deixada em presídio
Fonte: Alinny Maria | Editor: Da Redação 04/10/2017 12:32
Secretário de Estado da Justiça, Daniel Oliveira Secretário de Estado da Justiça, Daniel OliveiraFoto: Reprodução

Por 13 votos contra, três votos a favor e uma abstenção, a Assembleia Legislativa rejeitou o requerimento apresentado durante a sessão desta quarta-feira (4) pelo deputado Robert Rios Magalhães (PDT), propondo o afastamento imediato do secretário de Justiça, Daniel Oliveira, até que seja apurada responsabilidade pelo episódio da criança deixada em uma das celas da Colônia Agrícola Major César Oliveira, na BR-343, saída de Teresina para Altos, no sábado (30).

Com Robert Rios votaram os deputados Firmino Paulo (PSDB) e Juliana Moraes Souza (PMDB). O deputado Dr. Pessoa Leal (PSD) se absteve. O debate antes da votação foi acirrado entre oposição e governo.

Antes dos votos, Robert Rios encaminhou o requerimento, justificando que o caso da criança repercutiu na mídia nacional e internacional e que por isso o secretário deveria ser afastado até que fosse apurada a responsabilidade pelo fato.

O deputado Dr. Hélio Oliveira (PR) rebateu a fala de Robert Rios, afirmando que neste três anos de mandato tem assistido sistematicamente o deputado criticando o governo com requerimentos e denúncias sem fundamentação ou prova.

Por ter sido citado na fala de Hélio Oliveira, Robert Rios pediu a palavra para dizer que entre agradar a primeira-dama e o governo vai continuar na trincheira da oposição.

O líder do governo deputado João de Deus (PT) encaminhou voto contrário ao requerimento alegando que não houve qualquer negligência de parte da Secretaria de Justiça.

O líder lembrou que foram os agentes penitenciários de plantão naquele sábado que localizaram a criança na cela da Major César e que todos os procedimentos investigatórios, inclusive sindicância e inquéritos administrativo e policial civil estão em andamento, acompanhados pela Ordem dos Advogados do Brasil - seccional Piauí e pela Promotoria da Infância e da Juventude.

Após ter o requerimento rejeitado em plenário, o deputado Robert Rios anunciou que vai denunciar às cortes internacionais de direitos humanos e de defesa da criança e do adolescente o fato grave e sem precedentes ocorrido no Piauí.

Comentários