Economia

Renúncia fiscal chega a R$ 400 bilhões em 2017

As renúncias tributárias são as perdas de arrecadação que o governo registra ao reduzir tributos com caráter "compensatório" ou "incentivador"
Fonte: Noticias ao minuto | Editor: Redação 03/09/2017 08:30
Imagem ilustrativa Imagem ilustrativaFoto: Reprodução

Ogoverno federal tem tentando reequiliberar as contas públicas e, ao mesmo tempo, concede benefícios para setores da economia, regiões do país e até mesmo para pessoas físicas.

De acordo com o G1, as chamadas renúncias tributárias, ou seja, a perda de arrecadação que o governo registra ao reduzir tributos com caráter "compensatório" ou "incentivador", estão estimadas em R$ 284 bilhões neste ano.

Os números da Receita Federal e do Tribunal de Contas da União (TCU) indicam que, juntamente com os benefícios financeiros e creditícios (R$ 121,13 bilhões), os valores totais estão projetados em R$ 406 bilhões para este ano, com alta de 7,4% frente ao ano de 2016 (R$ 378 bilhões).

Entre os benefícios das renúncias estão: Zona Franca de Manaus, para empresas do Simples, pessoas físicas (deduções do IR de saúde e educação), cesta básica, exportações, energia, empregados domésticos, donas de casas, indústria automobilística, pessoas com deficiências, entidades sem fins lucrativos, filantrópicas, subsídios do BNDES, informática, desporto e crianças e adolescentes.

Outra medida que o governo Temer avalia é reonorar a folha de pagamentos, no entanto, a proposta ainda precisa passar a medida pelo Congresso Nacional. Além disso, alguns benefícios concedidos por governos anteriores estão sendo questionados pela Organização Mundial de Comércio (OMC).

Como destaca o G1, o valor concedido em benefícios tributários e financeiros neste ano supera todas as despesas com saúde e educação (sem contar pessoal), Bolsa Família, benefícios de prestação continuada (BPC), seguro-desemprego, abono salarial, Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), Fundeb e Fies. Juntos, estão estimados em R$ 317,44 bilhões para todo ano de 2017.

O Ministério do Planejamento aponta ainda que as renúncias de arrecadação previstas apra este ano, com estes benefícios tributários e financeiros, também equivalem cerca de 32% das receitas totais do governo (última estimativa do governo, feita em agosto, de R$ 1,28 trilhão).

Comentários