Política

Regina lembra no Senado morte de Marielle há duas semanas

Demora nas investigações trabalha a favor dos assassinos e dos mandantes
Fonte: Assessoria | Editor: Paulo Pincel 28/03/2018 18:19
Vereadora Marielle Franco Vereadora Marielle FrancoFoto: Reprodução

A senadora Regina Sousa (PT-PI) discursou na tribuna do Senado para lembrar que nesta quarta-feira (18) completam-se 15 dias do assassinato da vereadora Marilelle Franco e seu motorista, Anderson Pedro Gomes, sem que as forças policiais tenham apresentado qualquer resultado à população do Rio de Janeiro e do Brasil.

Na opinião da senadora, a demora nas investigações trabalha a favor dos assassinos e prováveis mandantes, uma vez que pistas e provas podem estar sendo destruídas sem que sequer sejam averiguadas: “Ainda não temos nenhuma notícia dos assassinos e a polícia, ao que sabemos, em vez de investigar pistas deixadas para trás, apenas interroga a família e os amigos da Marielle. Tenho até medo de que inventem um culpado no meio (da família) para darem uma satisfação à sociedade”, disse.

“Já é tempo de termos alguma notícia do andamento do inquérito, o que é que aconteceu de verdade, porque os indícios, os caminhos para investigação estão abertos. É só ver a ação da Marielle, a quem ela denunciava, que você vai chegar em alguém que não gostava dela, que não gostava do que ela fazia”.

“É preciso apressar as investigações, nós não podemos ficar chorando, sem respostas, mais uma vítima da violência, vítima do preconceito, vítima do ódio. Ano passado o Brasil matou 52 defensores dos direitos humanos, grande parte dessas mortes não foi devidamente apurada. Marielle não será esquecida, não deixaremos que seu assassinato caia nas estatísticas dos crimes insolúveis”.

Comentários