Saúde

Rede Feminina promove Carnaval para pacientes com câncer

Os pacientes brincaram ao som de marchinhas de carnaval e fizeram a festa
Fonte: Assessoria | Editor: Paulo Pincel 21/02/2019 16:51
Rainha do Carnaval com criança em tratamento Rainha do Carnaval com criança em tratamentoFoto: RFCC

Na Rede Feminina de Combate ao Câncer do Piauí (RFCC-PI) já é carnaval. Os pacientes oncológicos assistidos pela RFCC-PI também participaram do Quarta Solidária em ritmo de carnaval na quarta-feira (20). A festa, que aconteceu no Lar de Maria, contou com a presença do Rei e da Rainha da Acessibilidade e da Terceira Idade. Os participantes brincaram ao som de marchinhas de carnaval e fizeram a festa com muitos confetes e serpentina.

Dona Cristina Pereira tem 77 anos e adora cair na folia. Participante assídua das festas de carnaval do Lar de Maria, para ela, amor e acolhimento é o que não faltam na casa de acolhimento. “Cheguei na Rede Feminina em 2005. Aqui, fui bem acolhida e ganhei uma família que antes eu não tinha. Sou bem tratada e tenho tudo o que preciso. Pelas voluntárias e pelo que eu vivi e vivo ainda hoje aqui, só tenho gratidão. Uma gratidão imensa. Sei que elas fazem o que podem fazer e tudo que é feito é maravilho. Traz mais alegria pra gente e sempre que sabemos que uma festa assim vai acontecer, ficamos na expectativa, aguardando ansiosos”, disse Dona Cristina.

Gracinha Andrade é vice-presidente da Rede Feminina e uma das idealizadoras do projeto Quarta Solidária, juntamente com a voluntária Solange Lima. Segundo ela, o projeto começou tímido e com o passar dos anos ganhou espaço e reconhecimento, fortalecendo-se e ajudando quem mais precisa.

“Quando eu e a Solange resolvemos iniciar o projeto, íamos nós mesmas até a Ceasa e pegávamos as frutas e verduras que estavam boas para o consumo, mas eram descartadas pelos feirantes. Fazíamos a distribuição em sacolinhas e entregávamos aos pacientes oncológicos assistidos pela Rede. Era uma maneira de ajudar quem mais precisa através da alimentação e nós sabíamos que aquilo ali era pouco, mas para eles era o suficiente. Pra gente, a sensação em ajudar era e continua sendo indescritível. Hoje o nosso projeto mudou, ganhou espaço e além da distribuição desses alimentos complementares, organizamos festinhas em datas comemorativas e proporcionamos momentos de alegria e descontração, como esse aqui”, destacou Gracinha.

Carnaval na RFCC
Na Rede Feminina de Combate ao Câncer do Piauí (RFCC-PI) já é carnaval

Carnaval

A folia de momo animou a Sala de Recreação da RFCC-PI, no Hospital São Marcos, na terça-feira (19), e levou crianças, familiares, voluntárias, médicos e enfermeiras a cair na brincadeira. A ação contou com a participação das Majestades do Carnaval 2019 e a animação ficou por conta da banda de música da Fundação Monsenhor Chaves que, com muita alegria, entoou marchinhas de carnaval colocando todo mundo para dançar.
As Majestades do Carnaval aproveitaram a oportunidade para realizar uma visita as crianças que estavam internadas nas enfermarias ou submetidas a processos de quimioterapia. Com muito bom humor e samba no pé, os reis e as rainhas levaram sorrisos, abraços e carinho, proporcionando as crianças e adolescentes, um momento de descontração e alegria
Vilma Moraes é representante da Comissão Organizadora do Carnaval (COC). Para ela, o momento é de gratidão e felicidade. “Ficamos extremamente felizes e gratos em poder ajudar. Quando termina o concurso para rei e rainha do carnaval, eu já tenho a preocupação em agendar esses momentos porque sei que eles são importantes para quem os vivencia. A sensação de bem estar em fazer ações sociais como essa não tem preço. Já somos parceiras da Rede Feminina há muito tempo e todos os anos, procuramos levar a alegria a quem mais precisa”, disse ela.
Maria Simone é mãe da pequena Sarah Beatriz, de seis anos, que há dois anos e meio luta contra a leucemia. Simone destaca que ações como essa são fundamentais no tratamento contra o câncer e comenta a felicidade da filha em poder participar desse momento.
“Nós, que somos mães e acompanhamos de perto o que os nossos filhos sentem, sabemos o quanto é difícil vê-lo limitados e privados de certas coisas. Mas, o que nos dá força é a acolhida que recebemos aqui por parte das voluntárias e tiramos isso como uma provação que nos levará a vencer mais adiante. Não só eu, como os outros pais que estão aqui agradecemos todos os dias por ter pessoas tão especiais e que se importam com a gente. A iniciativa das voluntárias em organizar momentos como esse é maravilhosa e, sem dúvidas, ajuda muito no tratamento dos nossos filhos. É uma maneira de desviar o sofrimento, é uma terapia diária. A Sarah ama as festinhas promovidas pela Rede Feminina e estava muito ansiosa para ver o rei e a rainha do carnaval”, disse Simone.

Comentários

Apoio: