Política

PT pode rever posição em relação ao chapão proporcional

Líder do Governo acredita que Wellington Dias vai construir o consenso
Fonte: Paulo Pincel 08/06/2018 19:00
Líder do Governo, Francisco Limma (PT) Líder do Governo, Francisco Limma (PT)Foto: Caio Bruno/Alepi

O líder do Governo na Assembleia Legislativa, deputado Francisco Limma, admitiu que o Partidos dos Trabalhadores pode rever a sua posição em relação à chapa proporcional, isto é, o PT poderá compor o “chapão” proposto pela maioria dos partidos que integram a base governista para disputar cadeiras na Assembleia e na Câmara dos Deputados.

Segundo Limma, o PT apenas se adiantou em observar o que estabelece a legislação eleitoral, que prevê o fim das coligações proporcionais a partir das eleições de 2020.

Limma reafirmou o governador Wellington Dias já tinha dito e repetido de que vai ouvir os partidos aliados para “construir um consenso”. “Cada partido tem a sua estratégia como o PT também. A nossa posição foi externada para o governador e ele pediu para adiarmos a nossa decisão interna e nós achamos correto. O PT já tem uma posição, mas compreendemos a necessidade de que haja esse entendimento conjunto, coordenado pelo governador Wellington Dias”.

O líder ressaltou que atender a todos os interesses dentro de uma coligação é complicado. Precisa ser pensado, negociado com os demais aliados. “Acreditamos que somente próximo das convenções é que vamos bater o martelo nessa questão de chapa majoritária e coligação proporcional. Isso é algo que está sendo construído com muita habilidade pelo governador Wellington Dias, que é o maior coordenador desses entendimentos, além do compromisso de todos os partidos para que a gente possa sacramentar esses entendimentos e encontrar uma saída conjunta. Mas essa decisão será definida nos 45 minutos do segundo tempo”, previu Limma.

Comentários