Cidade

Promotor recomenda melhorias na maternidade Wall Ferraz

O documento tomou como base as investigações do inquérito civil público n˚06/2014
Fonte: MP/PI | Editor: Da Redação 07/04/2017 16:18
Maternidade Wall Ferraz Maternidade Wall FerrazFoto: Divulgação

O Ministério Público Estadual, através do promotor Eny Marcos Pontes, expediu recomendação ao presidente da Fundação Municipal de Saúde, Sílvio Mendes, sobre os problemas detectados na maternidade Wall Ferraz – do CIAMCA (Centro Integrado de Assistência à Mulher, Criança e Adolescente), no bairro Dirceu Arcoverde, zona Sudeste de Teresina.

O documento tomou como base as investigações do inquérito civil público n˚06/2014 e os resultados de um relatório da Diretora de Vigilância Sanitária, Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi), que apontaram existência de irregularidades e inadequações na organização e funcionamento da maternidade, e que colocariam em risco os usuários.

No total, são sete recomendações relacionadas à estrutura e execução de procedimentos entre os quais estão a designação de servidor exclusivo para limpeza da UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e adaptação da estrutura física da unidade. Quanto a cozinha do hospital, a recomendação solicita que seja providenciada a aquisição de utensílios como: um exaustor, coifa e panelas, além de uniformes para os funcionários que preparam os alimentos e que, estes, realizem exames de saúde periodicamente.

Em relação a saúde dos trabalhadores da maternidade, o MPPI orienta que se fiscalize o uso correto das vestimentas, equipamentos, circulação nos setores da unidade de saúde; além da implantação de um programa de controle médico de saúde ocupacional. Outra sugestão feita consiste em disponibilizar cartões de imunização para os servidores e o fornecimento de equipamentos de proteção individual aos funcionários da Central de Material Esterilizado.

Por último, a recomendação demanda o recolhimento diário do excesso de medicação e a instalação de pias para lavagem das mãos e ajuste do espaço que abriga o posto de coleta do banco de leite na área destinada a higienização dos frascos usados e dos locais destinados à amamentação das mães.

A FMS tem um prazo de 30 dias para implementar as medidas necessárias para solucionar os problemas apontados. Ao final da recomendação, o representante do MP Estadual adverte que a não observância implicará na adoção das medidas judiciais cabíveis.

Comentários