Educação

Professores Municipais são finalistas do Prêmio Professores do Brasil

Prêmio reconhece e premia o trabalho dos professores que contribuem com a melhoria do processo de ensino
Fonte: Prefeitura de Teresina | Editor: Redação 25/10/2017 12:15
Prêmio Professores do Brasil Prêmio Professores do BrasilFoto: Undime

Na busca constante por prender a atenção dos alunos e envolvê-los em atividades pedagógicas que despertem o interesse em sala de aula, três professores de escolas municipais de Teresina criaram projetos tão positivos que renderam destaque no 10º Prêmio Professores do Brasil.

O Prêmio, promovido pelo Ministério da Educação, reconhece, premia e divulga o trabalho de professores de escolas públicas que contribuem para a melhoria dos processos de ensino e aprendizagem desenvolvidos nas salas de aula. Docentes de todo o país enviaram relatórios com suas práticas em diferentes categorias.

O professor Ítalo Rômulo, da Escola Municipal Lunalva Costa, ficou com o primeiro lugar da seletiva estadual, apresentando o melhor trabalho na categoria Ciclo de Alfabetização (1º ao 3º ano do Ensino Fundamental). Ele é o criador do projeto “A hora do conto”, onde os estudantes levam alegria para crianças de casas de acolhimento com dramatizações das histórias lidas na escola. Além de estimular a prática da leitura, a iniciativa ensina sobre solidariedade e compaixão.

“Meus alunos passaram a compreender que a leitura não é uma atividade enfadonha, e levando para esse lado mais social, conseguimos despertar a pluralidade, um sentimento de compreensão com o outro que faz toda diferença na vida dessas crianças. Estou extremante feliz com o reconhecimento do Prêmio, saber que estamos entre as melhores iniciativas do país é motivo de muito orgulho”, comenta Ítalo.

Teresina aparece novamente em primeiro lugar na categoria Anos Iniciais (4º e 5º ano), com o projeto “Apaixonados por palavras”, do professor Willis Santana. Foram 32 alunos da Escola Municipal Santa Fé aprendendo a gostar de ler a partir do estímulo do professor.

“Eles não gostavam de ler, então comecei de forma simples, trabalhando somente palavras. Avançamos para frases, leituras de textos que eles indicavam, até chegarmos aos livros. Em um ano transformamos a turma, que está bem mais motivada e interessada, o que refletiu em uma excelente taxa de aprovação”, conta Willis.

E para fechar o trio de ouro na 10ª edição do evento, a professora Juliana Macedo, da Escola Municipal Campestre Norte, ganhou a premiação destaque com o projeto “Leio logo existo”. A próxima etapa é a seleção regional, onde apenas 30 participantes concorrem à grande final. Os seis melhores trabalhos receberão o prêmio em dezembro, na cidade de São Paulo.

Para o secretário municipal de Educação Kleber Montezuma, a fórmula é simples. “Esses professores trabalham com planejamento, registram as atividades realizadas com os alunos e mostram para o Brasil o que fazem, como fazem e os resultados alcançados”, conclui.

Comentários

Matérias Relacionadas