Brasil

Professor agredido por aluno diz que não quer mais dar aula

Paulo Procópio está de licença médica devido aos ferimentos provocados pela agressão do aluno
Fonte: Com informações do G1 | Editor: Alinny Maria 24/02/2019 11:51
Professor Paulo Rafael Procópio Professor Paulo Rafael ProcópioFoto: Arquivo pessoal

O professor Paulo Rafael Procópio, de 62 anos, que foi agredido fisicamente por um aluno de 14 anos dentro da sala de aula em uma escola estadual de Lins (SP), anunciou que pretende abandonar a profissão. A decisão foi tomada após 20 anos de magistério devido à violência sofrida na sala de aula sexta-feira, dia 22.

Segundo o G1, Paulo Procópio, dá aulas de história e geografia há três anos na escola estadual Otacílio Sant’anna, no Parque Alto de Fátima. Ele explicou que já tem tempo para se aposentar, mas admitia seguir trabalhando após obter o benefício.

“Estou horrorizado. A gente sempre ouvia falar em casos de violência dentro de salas de aula, mas confesso que nunca imaginei passar por isso. Já estava decepcionado com a falta de respeito dos alunos, mas essa agressão foi demais”, disse ao G1.

O professor se recupera dos ferimentos. Ele teve que levar seis pontos cirúrgicos no rosto e mais dois no supercílio para fechar os cortes provocados pelos socos desferidos pelo aluno e também pelo caderno que foi atirado durante o ataque.

“Tem muitos professores que, até pela questão financeira, continuam trabalhando após se aposentar. Mas agora vou me aposentar e procurar outra coisa pra fazer. Não quero mais dar aulas”, diz o professor ao G1, que ficará afastado em licença médica até a próxima quarta-feira (27).

Comentários