Polícia

Preso suspeito de matar a ex-esposa com dez facadas

A vítima foi encontrada morta no sábado (17) e o suspeito estava foragido
Fonte: Polícia Miliar | Editor: Alinny Maria 18/02/2019 08:56
O corpo foi recolhido pelo IML O corpo foi recolhido pelo IMLFoto: Wendel Veras

A Polícia Militar prendeu em flgrante na noite desse domingo (17), o serralheiro Francisco Antônio Pereira dos Santos, apontado como principal suspeito de matar a ex-esposa Nataciane dos Santos Sousa, 24 anos, em Cocal, no Norte do Piauí. O corpo da vítima foi encontrado no sábado (16) por uma pessoa que passava pela casa e viu a porta aberta. NO corpo, havia pelo menos dez perfurações.

Desde então Francisco Antônio estava escondido. Ele se enfiou no mato e depois seguiu para a casa da mãe, onde foi preso e encaminhado para a Central de Flagrantes de Parnaíba.

Vizinhos do casal afirmaram que Francisco já havia avisado que se Nataciane não ficasse com ele, não ficaria com mais ninguém, o que reforça a tese de feminicídio. Os dois estavam seprados havia três meses.

Uma equipe da Companhia de Polícia Militar de Cocal prendeu Francisco, que não ofereceu resistência e nem comentou nada sobre o crime.

Como foi

Nataciane foi encontrada morta com dez perfurações pelo corpo, em uma casa abandonada no bairro São Francisco. Um popular passava pelo local quando percebeu a porta aberta e avistou o corpo de uma mulher no chão. A testemunha acionou a Polícia Militar. O corpo foi identificado e o pai da vítima informou aos policiais que a filha foi vista pela última vez na tarde de sexta-feira (15).

Francisco Antônio estava foragido e foi encontrado na noite de ontem na casa da mãe. Ele foi levado para a Central de Flagrantes de Parnaíba. A Polícia Militar de Cocal informou que após cometer o crime, Francisco se escondeu em um matagal e depois foi para a casa da mãe. Ele não reagiu à prisão e não comentou sobre o caso.

O casal estava separado há três meses e o homem não aceitava o fim da relação. Francisco foi autuado em flagrante pelo crime de feminicídio. O caso segue em investigação da Polícia Civil.

Comentários