Política

Presidente da Caixa anuncia mais R$ 1 bilhão para o Piauí

O empréstimo do governo, de R$ 315 milhões, deve sair na próxima semana
Fonte: Paulo Pincel 01/06/2018 16:30
O presidente da Caixa Econômica Federal, Nelson Souza O presidente da Caixa Econômica Federal, Nelson SouzaFoto: Caixa

O presidente da Caixa E conômica Federal, o piauiense Nelson Antônio Souza, anunciuou hoje (1º/6), a liberação de R$ 1 bilhão para financiamento de novas moradias, bem como para a reforma e ampliação de imóveis usados. "Será R$ 1 bilhão somente para o Piauí neste ano de 2018. Para pessoa física ou jurídica e vai para habitação, construção de imóveis novos e financiamento de usados", comemrou o presidente, que também falou sobre os empréstimos do Governo do Estado. O dinheiro do Finisa 2, no valor de R$ 315 milhões devem ser liberados na próxima semana.

"Recentemente reduzimos as taxas de juros e aumentamos a cota de imóveis usados de 50% para 70%. Os demais financiamentos continuam em 80%. Temos demanda e taxas de juros competitivas. O prazo de financiamento pode chegar a 35 anos. Acredito que esse 1 bilhão serão consumidos rapidamente", avaliou Nelson Souza, em entrevista à TV Cidade Verde.

"Tanto a habitação de mercado, com a fonte de recurso a poupança, como a popular com a fonte de recurso o FGTS. É o setor que mais gera emprego e renda. A Caixa tem 69% do mercado imobiliário brasileiro. Somente para 2018 nós temos R$ 85 bilhões só para habitação, podendo chegar a R$ 100 bilhões”,

Sobre os empréstimos do Governo do Estado (Finisa 1 e 2 ), o presidente explicou que tudo está sendo feito dentro dos cronogramas estabelecidos nos contratos. "São 2 contratos. No Finisa 1 liberamos 307 milhões, esse precisaria ter a prestação de contas como qualquer outro contrato. Só que nesse intervalo foi contratato o Finisa 2. E como a prestação de contas do primeiro está em andamento, vinculou-se que um contrato tinha a ver com o outro. Isso subiu ao STF e o ministro Facchin acionou a Caixa e a conclusão dele é que não existe vinculação do 1 ou com 2", adiantou o presidente da Caixa

Comentários