Polícia

Polícia ouve gerente e familiares e já identificou assaltantes

Policiais federais auxiliam o Greco na investigação do assalto ao Banco do Nordeste
Fonte: Polícia Civil/Greco | Editor: Paulo Pincel 19/12/2017 16:07
Ronildo da Cunha Ribeiro preso em assalto ao Banco do Nordeste em Teresina Ronildo da Cunha Ribeiro preso em assalto ao Banco do Nordeste em TeresinaFoto: Montagem

O delegado do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Grego), Williame Moraes, ouviu no começo da tarde desta desta terça-feira (19), na sede do Greco, na Avenida Gil Martins, no bairro Cidade Nova, em Teresina, Ronildo da Cunha Ribeiro, que estava com a gerente do Banco do Nordeste, Marlene Portela, como refém na agência do Bando do Nordeste na Avenida João XXIII, na zona Leste de Teresina na manhã desta terça-feira (19).

O delegado também tomou o depoimento da gerente e dos familiares dela que ficaram como refém da quadrilha que assaltou o banco.

As polícias de outros estados estão sendo contatadas para fornecer informações que possam ajudar a prender a quadrilha. Já o suspeito preso não falou nada durante o depoimento.

“Ele nos deu o nome de Ronildo e estamos investigando isso. Acreditamos que não seja um nome verdadeiro, a Polícia Federal está aqui através da delegada Larissa, e seus policias estão nos auxiliando. Ele (Ronildo) reservou o direito de permanecer calado, é um direito constitucional dele, mas ele foi pego no local do crime com dinheiro, com armamento, com veículo e foi reconhecido pela vítima. A participação dele está muito bem estabelecida neste fato”, adiantou o delegado.

Toda a família da gerente do banco foi mantida refém. A quadrilha se dividiu. Uma parte ficou com a filha, o genro e os netos da gerente e a outra parte do bando foi com a gerente para a agência para pegar o dinheiro, revelou Willame Moraes.

O delegado contou que a quadrilha é muito bem organizada, com divisões de tarefas específicas para cada integrante do bando. “Os assaltantes foram divididas em três, quatro equipes para poder realizar esse crime. Eles já estavam na posse do dinheiro quando a polícia tomou conhecimento e imediatamente interviu conseguindo a prisão de um deles, que estava no interior do banco e conseguimos recuperar o dinheiro que ele estava com ele”, acrescentou o delegado.

A Polícia Civil do Piauí já conseguiu identificar, além de Ronildo, outros dois integrantes do bando que assaltou e sequestrou a família da funcionária do BNB. “Estamos com equipes em campo para a localizar e efetuar a prisão. Uma das vítimas já fez o reconhecimento. Está bastante encaminhado e se não der para prender em flagrante será pedido o mandado de prisão”.

Comentários