Polícia

PMs que mataram menina de 9 anos já estão presos

Inquéritos foram aberto na Corregedoria da PM e na Delegacia de Homicídios
Fonte: Paulo Pincel 26/12/2017 12:39
O carro onde a família de Evandro estava. Emile morreu atingida por dois tiros O carro onde a família de Evandro estava. Emile morreu atingida por dois tirosFoto: Montagem

O portal PIAUÍHOJE,COM teve acesso ao relatório da ocorrência da noite de segunda-feira (25), quando policiais militares do 5° Batalhão atiraram contra um Renault Clio onde estava a família do cantor sertanejo Evandro da Silva Costa, de 31 anos, atingido por um tiro no pescoço, matando Emile Caetano da Costa, de 9 anos, filha do condutor do veículo. A mãe da menina, Daiane Félix Caetano, de 26 anos, também foi baleada. O tiro acertou o braço esquerdo.

Os policiais militares identificados como cabo-PM Francisco Alves e soldado-PM Dornel foram presos pela Corregedoria da PM. Depois de autuados, os dois foram levados para o presídio militar. Eles devem responder por homicídio e tentativa de homicídio. Caso sejam condenados, serão expulsos da PM.

Segundo o relatório, “a viatura de número 510, da Polícia Militar do Piauí, encontrava-se em ronda na Avenida João XXIII, na altura do bairro Santa Isabel, quando policiais militares visualizaram um veículo de passeio de cor vermelha placa NIT-8432 em atitude suspeita. Foi dado voz de parada porém não obedecida. Os policiais militares efetuaram disparos contra o veículo atingindo os ocupantes Evandro da Silva Costa, de 31 anos, atingido na região do pescoço, Daiane Félix Caetano, de 26 anos, atingida no braço, e a menor Emily Caetano da Costa, de 9 anos, atingida na região das costas e que se encontra na semi-uti da urgência do Hospital de Urgência de Teresina”.

O coronel Wagner Torres, comandante de policiamento da capital (CPC) lamentou na ação desastrada dos militares. "Com certeza não foi o ensinamento que eles tiveram no curso de formação. Foi uma abordagem mal feita. Quero me solidarizar com a família do Evandro Costa".

"“Ele [o cabo-PM F. Alves] disse que por volta das 23h30, estava fazendo rondas na zona leste, precisamente, na Avenida Nossa Senhora de Fátima, quando foi abordado por um cidadão, dizendo que elementos em um carro tentaram roubar ele. De imediato ele [F.Alves] saiu e, em diligência, encontrou um veículo com as características semelhantes a desse transeunte. Iniciou-se uma perseguição e, de repente, esse veículo saiu em destino da BR 343. Próximo da concessionária Alemanha, esse veículo parou e os dois policiais desceram. O soldado Dornel disparou alguns tiros em direção a esse veículo. Segundo o cabo F. Alves, o policial Dornel efetuou cinco tiros e ele deu dois tiros para cima... A atitude correta deles seria pedir apoio de outras viaturas, ficar em retaguarda e mandar os ocupantes descerem do veículo", reprovou Wagner Torres.

Homicídios

O delegado Francisco Costa, o Barêtta, coordenador da Delegacia de Homicídio, lembrou que Dayanne Félix Caetano chorava muito e repetia que a filha morreu com fome. "Ela disse que vinha da casa de um amigo que tá doente, tinha ido visita-lo. Aí disse que a menina que morreu falou: 'eu tô com fome'. Aí ela [Dayanne] disse mais o marido: ‘pois vamos comer um açaí lá no Dirceu’. "Ela tava chorando aqui, dizendo: 'minha filha morreu com fome".

Barêtta assegruou que tudo vai ser apurado durante o inquérito policial. "Vamos solicitar todas as informações ao Comando Geral da Polícia Militar, bem como a Corregedoria da Polícia Militar. Eu soube que eles foram autuados em flagrante pela Corregedoria da Polícia Militar, não é nenhum tipo de crítica, mas eu acho que eles deveriam ter sido levados para a Central de Flagrantes, porque lá tem um delegado de polícia para isso, mas isso é uma questão interna deles lá, mas nós não vamos deixar de cumprir o nosso dever constitucional", criticou o delegado, depois de ouvir o depoimenteo de Dayanne Caetano, mãe da pequena Emile, que morreu atingida por dois tiros nas costas.

Comentários