Saúde

Piauí reduz mais de 80% dos casos de chikungunya

Em março deste ano, 217 municípios alimentaram o sistema de informações, onde apenas 27 municípios condições de risco.
Fonte: Sesapi | Editor: Redação 11/05/2018 13:28
Aedes aegypti, transmissor de dengue, chikungunya e zika vírus Aedes aegypti, transmissor de dengue, chikungunya e zika vírusFoto: DC-GATHANY/PHANIE/AFP

Em março, 217 municípios alimentaram o sistema de informações, onde apenas 27 apresentam condições de risco.
A avaliação do Boletim da 18ª Semana Epidemiológica, da Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi), aponta uma redução de mais de 60% nos casos notificados de dengue, quando comparado ao mesmo período no ano passado. Este ano, em 54 municípios, foram notificados 833 casos. Já em 2017, foram 2.116, em 79 municípios.

Ainda de acordo com o boletim, os casos confirmados de chikungunya registraram uma redução maior, chegando a 80,9%. No ano passado, em 40 municípios, foram 1.178 casos. No mesmo período de 2018, apenas 19 municípios notificaram 225 casos.

De acordo com o técnico da Vigilância em Saúde da secretaria Ocimar de Alencar, a redução de notificação dos casos das doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti, no estado do Piauí, pode ser evidenciada também nos mapas de Levantamento de Índice Rápido Amostral (Lira) e Levantamento de Índice Amostral (LIA). Em março deste ano, 217 municípios alimentaram o sistema de informações, onde apenas 27 municípios condições de risco.

Sobre LIA e Lira

O LIA e o Lira - Levantamento de Índice Amostral e Levantamento de Índice Rápido Amostral, respectivamente, medem a infestação de focos de larvas do mosquito nos imóveis visitados pelos agentes de endemias, na zona urbana dos municípios.

Dos 217 municípios investigados e que fizeram os levantamentos, 102 apresentam índice satisfatório (menos de foco encontrado para cada 100 imóveis visitados); 88 estão em situação de alerta (até 3,99 focos encontrados para cada 100 imóveis visitados) e apenas 27 municípios apresentam situação de risco, onde foram encontrados focos do mosquito em mais de imóveis de cada 100 visitados.

Ocimar de Alencar alerta para a importância dos levantamentos desses dados, bem como a notificação dos casos suspeitos nos sistemas de informação do SUS “para que os gestores possam se planejar melhor e implementar as ações de vigilância em saúde, como campanhas de orientações à população e mutirões de limpeza realizados pelas prefeituras”.

Fique atento a estas recomendações:

• Evitar o acúmulo de água em garrafas, vasilhames, latas, pneus, pratos sob vasos de plantas;

• Manter vasilhames tampados;

• Manter ambientes limpos;

• Tampinhas de garrafas, cascas de ovos e folhas também poder ser reservatórios d’água;

• Manter caixa d’água coberta.

Comentários

Matérias Relacionadas