Brasil

Piauí: mais 93% da população de 4 a 17 anos está na escola ou creche

mostra metas PI educação
Fonte: assessoria 08/02/2012 14:44 - Atualizado em 17/11/2016 10:02
O mocimento Todos Pela Educação apresentou seu relatório anual de acompanhamento de suas 5 Metas, o De Olho nas Metas 2011. Nesta quarta edição, o movimento traz dados sobre o desempenho dos estudantes com base nos mais recentes indicadores educacionais e informações do Censo Demográfico 2010 sobre o acesso à escola. Análises de especialistas brasileiros aprofundam os temas, boletins com o resultado das Metas por unidade da federação e, além disso, dados de aprendizado por município.
Destaques do Piauí
O estado tem hoje 93,8% da população de 4 a 17 anos na escola ou creche (2010), a meta para este ano era de 93,9%; 40,6% da população de 16 anos concluiu o Ensino Fundamental em 2009 (a meta era de 44,3) e 34,3% o Ensino Médio (a meta era de 25,3).

62,8% dos municípios do estado de Piauí atingiram a meta de aprendizado adequado à série para o 5º ano do Ensino Fundamental em matemática e 39,9% em português; apenas 30,9% atingiram a meta para o 9º ano em matemática e 68,6% em português.

Entre os destaques deste relatório está o fato de nenhuma região ou estado do País ter superado a meta de acesso em 2010 e ainda termos 3,8 milhões de crianças e jovens fora da escola; dados inéditos da Prova ABC por sexo e por idade que apontam que o desempenho dos alunos defasados já no final do ciclo de alfabetização é menor em todas as disciplinas avaliadas (Escrita, Leitura e Matemática); e o apontamento da grande probabilidade de que, nas condições atuais, a Meta 4 (conclusão do Ensino Médio a até os 19 anos) só será cumprida até 2022 se problemas como de fluxo escolar forem resolvidos nos próximos anos.

“Os dados e as análises dos especialistas desta edição do De Olho nas Metas apontam que mudanças estruturais precisam acontecer com urgência para que as Metas possam ser plenamente atingidas até 2022. Os próximos anos demandarão dos gestores educacionais e de toda a sociedade políticas eficazes que garantam o direito à educação de qualidade para todos”, afirma Priscila Cruz, diretora-executiva do Todos Pela Educação.

Meta de acesso em 2010 não foi superada
Entre 2000 e 2010, de acordo com os dados dos Censos Demográficos, o aumento nas taxas de acesso à escola foi de 9,2% para o Brasil. A região com maior aumento na frequência aos sistemas de ensino, entre crianças e jovens de 4 a 17 anos, foi a Norte (14,2%). O Sudeste, que já partia de uma situação mais favorável em 2000, com 85,8% da população na escola, foi a região que teve menor taxa de crescimento do acesso à escola: 8,0%.

Mesmo com tal acréscimo nas taxas de frequência, nenhuma das regiões conseguiu superar a meta intermediária estabelecida pelo Todos Pela Educação para sua Meta 1, de atendimento escolar de 4 a 17 anos, nem o Brasil como um todo. A maior taxa de atendimento foi encontrada no Sudeste (92,7%), e a menor, no Norte do País (87,8%). A mesma análise pode ser observada para cada uma das unidades da federação e, novamente, é possível verificar que nenhuma superou a meta intermediária de atendimento escolar proposta para o ano de 2010.

De acordo com os dados, 3,8 milhões de indivíduos de 4 a 17 anos estão fora da escola. Entre as regiões, o Sudeste tem os maiores números absolutos de crianças e jovens nesta condição, com mais de 1,2 milhão de indivíduos fora dos sistemas de ensino. O Centro-Oeste, na composição do País, tem os menores totais de indivíduos fora da escola.

Em números absolutos, o estado que tem mais crianças e jovens a incluir no sistema de ensino é também o mais populoso, São Paulo, com mais de 607 mil potenciais estudantes fora da escola. Na sequência, aparecem Minas Gerais (363.981 crianças e jovens fora da escola) e Bahia (277.690).

As taxas de acesso à Pré-Escola permanecem em patamares muito mais baixos que os estabelecidos pelas metas do Todos Pela Educação. O Norte do País, em particular, tem a menor taxa de atendimento nesse nível de ensino, com 69,0% das crianças de 4 e 5 anos com acesso aos sistemas de ensino e mais de 201 mil fora da escola. O atendimento às crianças e jovens de 6 a 14 anos, no País, já se encontra em patamares mais elevados: 96,7% daqueles nesta faixa etária estão na escola. Entre os jovens de 15 a 17 anos, idade regular para o Ensino Médio, 83,3% frequentam a escola. O menor percentual de acesso, novamente, é do Norte (81,3%).

Comentários

Matérias Relacionadas