Especiais

Piauí foi o último Estado do país a criar uma delegacia especializada para a mulher

Fonte: Cintia Lucas 20/08/2017 07:00
Delegada Vilma Alves Delegada Vilma AlvesFoto: Cintia Lucas

O Piauí foi o último Estado do Brasil a criar e instalar uma delegacia especializada para a mulher. A Delegacia da Mulher foi criada dia 14 de julho de 1999 e funcionava na rua 13 de maio no cruzamento com a rua Félix Pacheco, número 129, Centro de Teresina.

“E de lá para cá o que mudou? A mulher ficava na porta, resistindo para entrar na delegacia. Hoje, ela vai de livre e espontânea vontade, sem ressentimento, sem sentimento de culpa”, disse a delegada da Mulher, Vilma Alves.

A Lei Maria da Penha trouxe muitos avanços. Segundo a lei, ao bater o homem é preso em flagrante delito e se o crime é maior, é pedida a prisão preventiva e o agressor tem que sair de casa. Estes são alguns dos muitos avanços e as mulheres estão mais conscientes delas mesmas.

“Ela não é mais lixo, propriedade, depósito de esperma de nenhum homem, marido, companheiro, namorado, ‘ficante’ ou ‘peguete’. Hoje, as mulheres sabem o que querem e isso me deixa vaidosa. Tiramos ela do fundo do poço. Hoje, o corpo da mulher é seu manto sagrado”, afirma a delegada.

Apesar da espera pela criação da delegacia, a luta das mulheres pela garantia de direitos não é recente em Teresina. O primeiro Conselho Municipal da Mulher foi sancionado durante a gestão do prefeito Wall Ferraz há 36 anos. “Ele foi um grande prefeito que abraçou nossa causa”, disse Vilma Alves.

Para ela, as mulheres da capital piauiense sempre souberam lutar e conquistar direitos. “A praça Rio Branco, praça Pedro II são palcos de luta das mulheres guerreiras desta cidade. Lembro que nós contratávamos caminhões para levar mulheres que queriam ser vistas e ouvidas. Então, a prefeitura faz um reconhecimento honrado da luta das mulheres por Teresina e abraçamos com todo respeito esta homenagem”, afirma a delegada.

Comentários