Ciência & Tecnologia

Pesquisas com canabidiol no Piauí devem iniciar em 2019

Um dos objetivos dos estudos é baratear o custeio da dosagem do medicamento.
Fonte: CCOM | Editor: Da Redação 13/12/2018 18:31
Pesquisa PesquisaFoto: Opas

Em uma reunião realizada na Residência Oficial, nesta quinta-feira (13), o Piauí deu mais um passo rumo ao pioneirismo nos estudos com canabinidol por meio de um trabalho técnico envolvendo universidades e pesquisadores do Piauí e de outros estados. O Piauí é o primeiro estado do Brasil a iniciar um projeto de regulamentação do canabidiol, ou CDB, com fins de saúde pública. A substância é usada para o tratamento de doenças neurológicas e atualmente possui alto valor de mercado. A população que necessita do medicamento muitas vezes recorre à justiça para obter subsídios de custeio.

“Estamos acertando com a Universidade Estadual do Piauí e a Secretaria de Estado de Saúde para fazer uma pesquisa para ver a qualidade dos efeitos do canabidiol consumido por pacientes do Piauí”, informou Wellington Dias.

No Brasil, a comercialização do canabidiol já é permitida para fins médicos através da importação.

Os pesquisadores contam com o apoio do governo no diálogo com instâncias nacionais como o Ministério da Saúde e Agência de Vigilância Sanitária. O indicativo é de que as pesquisas sejam iniciadas em março de 2019, em parceria com Residência Médica em Neurologia do Hospital Universitário (HU) da Universidade Federal do Piauí (UFPI).

De acordo com Franklin Vargas, presidente da Associação Brasileira dos Usuários do Canabidiol (Anuc), um dos objetivos dos estudos que serão realizados no Piauí é baratear o custeio da dosagem do medicamento. “Otimizar o dinheiro que é gasto com a compra de CBD no estado. Hoje as pessoas entram na justiça para pagar o tratamento que é de alto custo. Queremos montar uma pesquisa pioneira no HU e utilizar esse dinheiro que já é gasto para fins de estudos”, explica.

Comentários