Política Nacional

PDT de Ciro Gomes anuncia "apoio crítico" a Haddad

A decisão foi anunciada em uma nota após reunião da Executiva Nacional
Fonte: G1 | Editor: Paulo Pincel 10/10/2018 17:09
Ciro e Haddad Ciro e HaddadFoto: Brasil 247

O PDT anunciou nesta quarta-feira (10) que dará "apoio crítico' a Fernando Haddad (PT) no segundo turno da eleição. Haddad disputará a Presidência da República com Jair Bolsonaro (PSL).

A decisão foi anunciada em uma nota, divulgada pelo partido, após reunião da Executiva Nacional.

"A Executiva Nacional do PDT, reunida nesta quarta-feira na sede nacional do partido, em Brasília, declara seu apoio crítico à candidatura de Fernando Haddad para evitar a vitória das forças mais reacionárias e atrasadas do Brasil e a derrocada da democracia", informou o partido.

No primeiro turno, o candidato do PDT à Presidência, Ciro Gomes, ficou em terceiro lugar. Ex-governador do Ceará e ex-ministro da Integração Nacional, ele recebeu 13,3 milhões de votos (12,47%).

No último domingo (7), logo após a confirmação o resultado do primeiro turno, Ciro Gomes foi questionado sobre quem apoiaria no segundo turno e respondeu "ele, não", uma referência ao movimento #EleNão, contrário a Jair Bolsonaro.

Na segunda-feira (8), o presidente do PDT, Carlos Lupi, já havia afirmado ao G1 que o partido "jamais" apoiaria Bolsonaro e estudava dar "apoio crítico" a Haddad.

Fernando Haddad, candidato do PT à Presidência da República — Foto: Daniel Ramalho/AFP

Haddad 'aberto' a propostas

Nesta terça-feira (9), em São Paulo, Fernando Haddad se reuniu com governadores do Nordeste e, numa entrevista coletiva, disse estar "aberto" a incorporar propostas de Ciro Gomes no programa de governo.

Também na entrevista, disse que Ciro "é um democrata e lutará contra o fascismo", o que o torna uma voz "muito respeitada no país".

"Eu conversei ontem [segunda, 8] com o Roberto Mangabeira Unger [interlocutor de Ciro] e disse a ele que estaria aberto a incorporar [no programa de governo] propostas que fossem compatíveis com os princípios [do PT]. E não há incompatibilidade entre os programas. As diretrizes são as mesmas: soberania nacional, soberania popular, direitos trabalhistas e direitos sociais. Enfim, os dois programas estão muito afinados", declarou Haddad.

Desde que o resultado do primeiro turno foi confirmado pela Justiça Eleitoral, diversos partidos têm anunciado posição sobre o segundo turno.

PSOL e PSB, por exemplo, já informaram que apoiarão a chapa de Haddad e Manuela D'Ávila (PCdoB); O PSDB, o DEM e o PRB não apoiarão Haddad nem Bolsonaro; o PTB apoiará Bolsonaro.

Comentários