Educação

Número de mortos na China já passa de 12 mil

Piauí Hoje
Fonte: G1 13/05/2008 00:00 - Atualizado em 08/11/2016 12:19
O terremoto de 7,8 graus pela escala Richter que abalou a China na segunda-feira (12) já deixou 11.921 mortos. A informação foi dada à agência oficial chinesa, Xinhua, por Wang Zhenyao, diretor do Ministério de Assuntos Civis.As autoridades chinesas dizem que a nova cifra é resultado de buscas realizadas durante a noite e a madrugada na província de Sichuan, na região central da China -local do epicentro do tremor. Há pelo menos 10 mil feridos em todo o país. O epicentro do tremor foi localizado a 93 km ao noroeste de Chengdu, capital da província de Sichuan, na região central da China. Mas há relatos de que o tremor também foi sentido nas províncias de Gansu (noroeste), Yunnan (sul) e em Chongqing (sudoeste).Um hospital e cinco escolas desabaram. Em uma delas, 900 estudantes ficaram sob os escombros. Equipes de resgate trabalham na região para tentar encontrar sobreviventes. Ainda não há informações sobre a presença de brasileiros na área atingida pelo terremoto. "Desastre"O primeiro-ministro chinês, Wen Jibao, descreveu o potente terremoto que sacudiu o sudoeste do país como um "desastre" e pediu "calma" à população. Jiabao declarou que a situação no sudoeste da China é mais séria que o estimado depois do terremoto que assolou a região nesta segunda-feira (12)."A situação é pior do que o estimado previamente, e precisamos de mais gente aqui para ajudar", disse Wen, no centro dos serviços de emergência chineses em Dujiangyan, a 100 km do epicentro do terremoto. "Diante do desastre, o mais importante é a calma, a confiança, o valor e uma direção forte", afirmou o chefe de governo no avião que o levava a Sichuan, a província do sudoeste onde foi registrado o terremoto, segundo o canal de TV chinês CCTV.Wen disse ainda que o governo central pediu aos governos locais e provinciais que coordenem as tarefas de resgate.DesabamentosDezenas de edifícios desabaram e o Exército foi enviado para ajudar nas tarefas de resgate. Na região autônoma de Beichuan Qiang, 80% dos prédios caíram ou racharam, informou a agência "Xinhua".O epicentro do tremor, registrado às 14h30 locais (3h30 de Brasília), foi localizado a 93 km ao noroeste de Chengdu, capital da província de Sichuan e onde vivem mais de 10 milhões de pessoas, segundo o Instituto Nacional de Geofísica dos Estados Unidos (USGS). Uma autoridade do órgão sismológico disse que as linhas telefônicas de condado de Wenchuan, em Sichuan o epicentro do terremoto, foram completamente cortadas e houve relatos de danos a prédios em condados vizinhos.O presidente Hu Jintato ordenou um "esforço geral" para resgatar as pessoas afetadas pelo terremoto, informou a "Xinhua". Tremor na ÁsiaO tremor foi sentido até em Bangcoc, capital da Tailândia, que fica a cerca 3.300 quilômetros de distância. Lá, os prédios balançaram por vários minutos.Na cidade de Wuhan, as pessoas correram para as ruas e pelo menos um prédio caiu, segundo um estudante universitário. "Todos os prédios balançavam para frente e para trás", disse ele, por telefone para a agência de notícias "Reuters"."Sentimos um tremor contínuo por cerca de dois ou três minutos", disse o funcionário de um escritório. "Todas as pessoas correram para baixo. Ainda sentimos leves tremores."Um empregado de um jornal local de Mianyang disse que houve vários terremotos. A USGS, agência sismológica norte-americana, disse que houve um impacto posterior de magnitude 6 às 3h43 quase no mesmo local e outro às 4h34, de magnitude 5,4.A torre Jinmao, em Xangai, foi esvaziada, assim como os demais prédios mais altos da China, durante o terremoto e os tremores que o seguiram. Os trabalhadores puderam voltar mais tarde.

Comentários

Matérias Relacionadas