Política

Nova legislação fez candidatos mudar estratégias e ter contato mais direto com eleitores

Candidatos mais competitivos para cargos proporcionais já rodaram entre 50 mil e 60 mil  quilômetros em busca de votos
Fonte: Luiz Brandão | Editor: Luiz Brandão 04/10/2018 19:41
Deputado Limma fez muitas reuniões e priorizou o contato direto com os eleitores Deputado Limma fez muitas reuniões e priorizou o contato direto com os eleitoresFoto: Assessoria do deputado

As recentes alterações na legislação eleitoral provocaram inúmeras mudanças nas estratégias dos candidatos e das coligações partidárias em todo o País. A diminuição do tempo de campanha, por exemplo, provocou a intensificação das viagens, obrigou os candidatos a andar mais pelas cidades e a participar de um maior número de atividades de campanha nas capitais e nas cidades do interior.

Candidatos e coligações também tiveram que recorrer á figura do “representante” para contemplar às grandes demandas por reuniões, plenárias, caminhadas e outras atividades da campanha, que também aumentaram e levaram os candidatos a “gastar mais sapato” para o contato mais direto com os eleitores.

Esses dados podem ser comprovados com levantamento direto nos comitês eleitorais que cada candidato precisa registrar, conforme determinação do Tribunal Superior Eleitoral – TSE. Fonte do Tribunal Regional Eleitoral do Piauí garante que estudos preliminares para averiguação desses números já estão sendo realizados e devem compor os bancos de dados dos Tribunais Regionais Eleitorais e do próprio TSE.

Os custos financeiros para acompanhar essas mudanças provocadas pela alteração na legislação eleitoral ainda não foram somados. Isso só deve acontecer com a conclusão das prestações de contas de todos os candidatos, coligações partidárias e seus respectivos comitês.

PÉ NA ESTRADA

O líder do governo do Piauí na Assembleia, deputado Francisco Limma (PT), disse nesta quinta-feira (03.10) que até quarta-feira (02.10) já havia rodado mais de 50 mil quilômetros. Ele e seus representantes participaram de pelo menos 270 reuniões diretas com eleitores. Limma também participou de passeatas, carreatas, caminhadas, panfletagens e outras atividades de campanha.

Segundo ele, os compromissos com lideranças do interior geraram mais de duas centenas de viagens a grande parte dos municípios piauienses. “Já estive em mais de uma centena de municípios. Em muitos deles estive por mais de uma vez. Sempre que possível também participo das atividades de campanha dos nossos candidatos majoritários ”, explica o deputado .

A mobilização de pessoas para ajudar na divulgação dos nomes e dos números dos candidatos é uma das tarefas mais complicadas nos comitês de campanha. Na campanha de reeleição do deputado Limma, dezenas de pessoas, entre militantes, filiados e voluntários, estão envolvidas diretamente nas atividades de panfletagens, distribuição de material de propaganda e organização das reuniões e as demais atividades de campanha.

PREPARO FÍSICO

Com a diminuição do tempo de campanha, a necessidade do contato mais direto do candidato com eleitor tornou-se praticamente obrigatório. Para isso, todos precisaram de melhor preparo físico para enfrentar a desgastante maratona em busca do voto. Mas só depois da apuração é que se pode saber se esforço surtiu o resultado esperado.

Para o deputado Limma, a estratégia de campanha adotada por cada candidato pode fazer a diferença no resultado final da eleição. Segundo ele, a nova legislação substituiu os grandes eventos e as megas estruturas por mais atividades e pequenas estruturas. Também exigiu equipes mais qualificadas e dinâmicas.

“Nós não paramos um só dia nessa campanha. Participamos de muitas atividades. Não houve dia de descanso. É uma maratona desgastante, mas vamos até o último instante da campanha em busca de votos. Nós somos de um time que só pára depois da votação e, em caso de haver segundo turno a maratona deve continuar”, finalizou o deputado Limma.

​​

Comentários