Municípios

Nova fase do Lei Maria da Penha nas Escolas é implantada em Barras

O projeto visa diminuir, por meio da educação, os elevados índices de violência contra a mulher.
Fonte: Governo do Piauí | Editor: Redação 10/10/2017 14:23
Lançamento do projeto Lei Maria da Penha nas Escolas em Lançamento do projeto Lei Maria da Penha nas Escolas emFoto: Raoni Barbosa

Para avançar na discussão e conscientização contra todas as formas de agressões às mulheres, a Secretaria de Estado da Educação (Seduc), em parceria com o Ministério Público Estadual (MPE-PI), deu início à nova fase do projeto "Lei Maria da Penha nas Escolas: desconstruindo a violência, construindo diálogos". Nessa segunda-feira (10), a abertura do ciclo implantação ocorreu no município de Barras.

O projeto visa diminuir os elevados índices de violência contra a mulher por meio da educação, com palestras de capacitação para professores, alunos e comunidade escolar. Em um primeiro momento nas Gerências Regionais de Educação (GREs), e em seguida nas escolas que aderiram ou venham a aderir ao mesmo.

"Estamos continuando o projeto, descentralizando o diálogo e abrindo a questão da violência diante desses índices alarmantes no país. O projeto tem surtido um resultado muito bom nas escolas, do ponto de vista de disseminar a Lei Maria da Penha, pois muitas vezes as pessoas não têm conhecimento do conteúdo da lei e nada melhor do que levar ao ambiente escolar esta ação", destacou a secretária de Estado da Educação, Rejane Dias, durante a abertura do projeto.

A delegada Vilma Alves, titular da Delegacia da Mulher, destacou a importância da conscientização dos alunos. "O objetivo do projeto é conscientizar a geração futura para que as crianças já conheçam o projeto e comecem a ter uma formação, uma mudança de comportamento, pois só a educação é capaz de realizar essa mudança. Estamos realizando esse trabalho há um tempo e esperamos que Barras se transforme com a futura geração do nosso estado", pontuou Vilma.

Renovando e ampliando a parceria entre a Seduc e o Núcleo das Promotorias de Justiça de Defesa da Mulher Vítima de Violência Doméstica e Familiar (Nupevid), o promotor de Justiça Francisco de Jesus Lima ressaltou que o projeto discute o conteúdo para que o aluno possa absorver sem viver o drama desta violência.

"Procuramos trabalhar nos espaços escolares a capacitação e a sensibilização dos professores. Eles vivem o dia a dia na sala de aula e são capazes de identificar quando o aluno sofre a violência, quando o aluno tem o rendimento abaixo e quais as causas", disse o idealizador do projeto.

Durante as capacitações, os professores promovem o protagonismo juvenil demonstrando as formas de identificar a violência familiar. Os alunos realizam atividades demonstrando as formas de violência por meio de parodias, no estudo da matemática detectando porcentagem para redução dessas ocorrências, por meio da dramatização, criação de textos e poesias.

"São todas estas formas de trazer para o ambiente escolar uma forma diferente de ver esta dura realidade. Com isso, esses meninos e meninas estarão sensíveis na garantia de seus direitos e efetivando também as suas obrigações", finalizou o promotor.

Comentários