Geral

Mulheres que sofrerem assédio no Corso poderão denunciar no Observatório da Mulher

Foliãs poderão denunciar na unidade móvel que prestará atendimento psicológico e social.
Fonte: Governo do Piauí | Editor: Redação 31/01/2018 11:51

Todo ano a história se repete: Puxões de cabelo, toques indesejados, beijos forçados e outros atos de violência contra a mulher são registrados durante o período de Carnaval. Com objetivo de coibir qualquer tipo de agressão e assédio contra as foliãs no momento das festas, a Coordenadoria de Estado de Políticas para as Mulheres do Piauí (CEPM) retorna, neste ano, com ações da campanha lançada em 2016, “O Corpo da Mulher Não é Folia”. A primeira ação será no Corso de Teresina, evento que reúne milhares de pessoas em todas as edições.

Durante o Corso, as foliãs poderão denunciar casos de violência no “Observatório da Mulher”, que é uma Unidade Móvel que prestará atendimento psicológico e social. A equipe da CEPM e a Comissão de Mulheres da OAB estarão preparadas para fazer o devido atendimento e encaminhar as denúncias para a Delegacia de Gênero. A ação conta também com a parceria da Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres (SMPM).

“Este ano vamos disponibilizar uma Unidade Móvel com uma equipe de psicólogas, assistente social e uma equipe da Comissão da Mulher da OAB, para que, qualquer mulher que passou por algum tipo de agressão, abuso e/ ou assédio, possa se dirigir até o nosso espaço, e lá nós a encaminharemos até a Delegacia de Gênero”, afirmou a coordenadora de Políticas para Mulheres, Haldaci Regina.

Além disso, durante os eventos carnavalescos que ocorrem no interior do Piauí, serão entregues materiais de caráter preventivo e informativo.

Comentários