Polícia

DHPP identifica a cabeleireira morta com 20 facadas e depois atropelada e arrastada na Av. Maranhão

A vítima sofreu 20 perfurações e teve o corpo arrastado pelo veículo do assassino
Fonte: Alinny Maria/Paulo Pincel 15/05/2018 19:00
O corpo da vítima ainda no asfalto da Avenida Maranhão O corpo da vítima ainda no asfalto da Avenida MaranhãoFoto: Reprodução/TVMeio Norte

O Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) identificou a vítima do feminicídio ocorrido na madrugada desta terça-feira (15), na Avenida Maranhão, na zona Sul de Teresina. O DHPP também já tem um suspeito do assassinato da cabeleireira Aretha Dantas Claro, 32 anos, que morava no Bela Vista.

Areta foi morta com requintes de crueldade na Avenida Maranhão, próximo à ponte Engenheiro Antonio Noronha, que liga Teresina a Timon (MA) pela rodovia BR-316. Depois de esfaqueada várias vezes, a vítima foi atropelada e arrastada pelo assassino, que fugiu no sentido Centro/Sul. No bolso do short havia duas cédulas de R$ 5,00.

Enrtenda o caso

Era perto das 04h30 quando um homem estacionou o veículo para conversar com uma mulher próximo a um campinho de futebol na Avenida Maranhão. O homem estava armado de faca e passou a agredir a vítima. Foram pelo menos 20 perfurações.

Depois de esfaquear a mulher, o assassino retornou ao carro, manobrou e passou por cima do corpo. O corpo foi arrastado por mais de 5 metros. Muito sangue, parte do cabelo e do couro cabeludo da vítima ficaram no asfalto. O rosto da mulher ficou desfigurado.

A Polícia Militar foi avisada de que um corpo de mulher estava no leito da avenida. O local foi isolado. A vítima estava trajando uma blusa preta e short jeans. Equipes do Departameneto de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e peritos do IML foram à cena do crime para levantar pistas que possam levar à prisão do assassino. Imagens de câmeras de segurança também serão recolhidas para identificar o veículo usado no crime.

Segundo os peritos, tudo levar a crer que a mulher tentou evitar que o criminoso fugisse entrando na frente do carro. E acabou atropelada e arrastada. Duas tatuagens pode ajudar na identificação da vítima: um gato na panturilha direita e uma frase nas costas: "o essencial é invisivel aos olhos".

Peritos na cena do crime
Peritos na cena do crime [Foto: Reprodução/TV Meio Norte]

Comentários