Política

MPPI apura apologia à tortura por apresentador de TV

Foi protocolada a notícia-crime contra apresentador televisivo
Fonte: MPPI 25/04/2019 08:15
Reunião no Ministério Público do Estado do Piauí Reunião no Ministério Público do Estado do PiauíFoto: Reprodução/MPPI

O Núcleo de Direitos Humanos e Tutelas Coletivas da Defensoria Pública do Estado vai coibir apologia à tortura nos veículos de comunicação do Piauí. O MPPI protocolou notícia-crime contra um apresentador de TV de Teresina por apologia à tortura e ao crime durante programa.

O procurador-geral de Justiça do Piauí, Cleandro Moura, recebeu o defensor público Igo Castelo Branco de Sampaio, titular do Núcleo de Direitos Humanos e Tutelas Coletivas da Defensoria Pública do Estado do Piauí, na terça-feira (23), na sede do Ministério Público do Estado, no Centro de Teresina.

Na oportunidade, foi protocolada a notícia-crime contra apresentador televisivo. "Protocolamos uma ação importante pois, diariamente, programas televisivos locais potencializam a visão negativa que existe a respeito dos Direitos Humanos. Hoje dialogamos quais medidas serão tomadas porque somos agentes de promoção dos Direitos Humanos e vamos pensar uma estratégia de atuação conjunta para coibir tais práticas", adiantou Igo Sampaio.

O defensor-público-geral do Estado do Piauí, Erisvaldo Marques, explicou que uma ação conjunta irá contribuir no processo de garantia dos Direitos Humanos no Piauí. O defensor público Dárcio Rufino também participou da reunião. "Apologia à tortura é crime pelo artigo 287 do Código Penal", pontua Dárcio.

Comentários