Política

MPF investiga candidaturas "laranjas" de oito mulheres no Piauí

Uma das candidatas recebeu mais de R$ 446 mil e teve apenas 319 votos
Fonte: MPF | Editor: Alinny Maria 25/02/2019 10:42
Edifício-sede do Ministério Público Federal, na Avenida João XXIII, em Teresina Edifício-sede do Ministério Público Federal, na Avenida João XXIII, em TeresinaFoto: MPF

O Ministério Público Federal (MPF) no Piauí investiga a utilização de candidaturas laranjas nas eleições 2018 no Estado. Pelo menos oito mulheres são suspeitas de fraude. Duas candidatas chamam a atenção pela quantidade de recursos que elas receberam na campanha. A candidata a deputada federal Raimunda Marques (PRB) recebeu o valor de R$ 324.771.90 da direção nacional da legenda, já a candidata a deputada federal Soraya Coelho (PR) recebeu do partido o valor de R$ 446.955.61.

O Procurador Regional Eleitoral, Patrício Noé da Fonseca, informou que um inquérito foi instaurado para apurar o caso. Com o resultado da eleição, Raimunda Marques obteve apenas 214 votos e Soraya Coelho teve 319 votos. A Justiça entende que essa disparidade entre os recursos as candidatas possuíam para fazer campanha e o número de votos evidenciaria a possibilidade de uma candidatura laranja.

As candidaturas que estão sob suspeita são as de Soraya Coelho (PRB), Raimunda Marques (PRB), Izete Rodrigues (PSC) e Erika Oliveira (PSC). Para o cargo de deputada estadual estão na lista Tamires Vasconcelos (PR), Maria de Fátima (MDB), Luiza Holanda (MDB) e Maria Bernadete (MDB).

Segundo as investigações, as oito mulheres podem ter sido utilizadas pelos partidos para supostos desvios de recursos do Fundo Eleitoral. A lei prevê que 30% dos recursos do Fundo Partidário destinado ao financiamento das campanhas eleitorais sejam direcionadas às candidaturas de mulheres.

Comentários

Apoio: