Polícia

Motorista de "Uber" leva um tiro no Centro de Teresina; testemunhas apontam PM como atirador

Atentado ao motorista de um "ligeirinho" gerou confusão. A mãe da vitima estava desesperada; outro motorista, John Coelho, foi preso acusado de desacato
Fonte: Luiz Brandão | Editor: Luiz Brandão 18/04/2017 15:14
Rafael levou um tiro no rosto e foi atendido na calçada do INSS Rafael levou um tiro no rosto e foi atendido na calçada do INSSFoto: Luiz Brandão

O motorista Anderlan Rafael Gomes Ferreira, de 26 anos, foi alvejado com o tiro no rosto. O caso aconteceu por volta das 14h30min, na rua Rui Barbosa, ao lado do Igreja Universal e ao da sede do Instituto Nacional do Seguro Social – INSS. De acordo com testemunha, o autor do disparo teria sido um policial militar da Companhia de Trânsito – CPTRAN

Rafael andava num Fiesta placa NIM – 9668, de Timon (MA). Ele teria recebido ordem para parar o veículo, Não se sabe se não ouviu a ordem. E por isso não parrou. Um carro da Strans, que vinha logo atrás, parou e dele um homem atirou no motorista do Fiesta. A bala entrou no para-brisa do veículo e atingiu o rosto de Rafael.

O atirador, que seria um militar da CPTRAN, estaria na viatura da Superintendência Municipal de Trânsito – Strans. Os funcionários do INSS ouviram o estampido do tiro e foram observar o que havia acontecido.

A vítima do tiro foi atendida na calçada do INSS pelo medido perito Lázaro Carvalho. O caso revoltou os amigos de Rafael que trabalham num ponto de Uber nas proximidades do Marcado Central. Imediatamente cercaram o local.

Minutos depois do atentado a Rafael Anderlan houve muita confusão no local. A mãe da vítima, dona Maria das Graças, uma senhora de uns 60 anos, chegou ao local. Ficou desesperada ao ver o filho sangrando e pedia aos policiais que o levassem ao hospital.

O clima ficou mais tenso. Uma ambulância do Corpo de Bombeiros chegou ao local e levou Rafael para o Hospital de Urgência de Teresina. Viaturas da PM e da Strans foram acionadas e outro motorista identificado pelo nome de John Coelho foi preso por “agitação” e desacato aos policiais.

Segundo cabo Edgar, do 1º Batalhão de Polícia Militar do Piauí (BPM), a polícia está neste momento no local fazendo as investogações sobre o que realmente acontece. "As viaturas ainda estão lá levantando o que aconteceu, ainda não temos informações exatas para repassar", disse o cabo.

Motorista
Motorista
Motorista
Motorista
Motorista
Motorista
Motorista
Motorista

Confira o vídeo:

Comentários