Geral

MPPI discute sobre série “13 Reasons Why” e desafio de “Baleia azul”

Fonte: MP/PI | Editor: Da Redação 12/05/2017 10:08
Mesa de diálogo discute temáticas relevantes para a sociedade contemporânea Mesa de diálogo discute temáticas relevantes para a sociedade contemporâneaFoto: Divulgação

O Ministério Público do Estado do Piauí (MPPI) realizou nesta quinta-feira, 11, a mesa de diálogo sobre a série “13 Reasons Why” e o jogo virtual intitulado “Baleia azul”. O objetivo é discutir temáticas relevantes para a sociedade contemporânea, como o cyberbullying, isolamento social praticado por crianças e adolescentes e a depressão infanto-juvenil, abordados no seriado americano e no desafio virtual. Além disso, foram debatidas formas de prevenção a tais práticas, com ênfase para a valorização da vida.

O debate aconteceu na sede da zona Leste do MPPI, e contou com a participação de membros e servidores do órgão ministerial, além de professores, estudantes dos cursos de psicologia e serviço social e conselheiros tutelares. Para falar dos assuntos foram convidados o professor Hugo Monteiro Ferreira, doutor em Educação e docente da UFRPE (Universidade Federal Rural de Pernambuco), e o psicólogo clínico Carlos Henrique Aragão Neto, especialista em tanatologia, mestre em antropologia e doutorando em psicologia clínica e cultura pela UnB.

As discussões foram iniciadas com a palestra “Bullying no Ambiente Escolar”, ministrada por Hugo Ferreira, que explicou a necessidade de que pais e educadores observem os comportamentos das crianças e adolescentes no espaço escolar. Ferreira ainda ressaltou a relevância de estabelecer uma conversa franca e aberta com o público infanto-juvenil.

“Penso que cabe ao Ministério Público neste momento promover atividades que possibilitem a discussão sobre essas questões; ao mesmo tempo, o órgão pode servir de ponte para esclarecimento da sociedade em relação a essas questões. Porque eu acho que há uma necessidade de diálogo com os promotores, com o judiciário, e destes com outros poderes sobre essas problemáticas envolvendo a criança e o adolescente, mas vendo essas questões como sociais e que precisam ser pensadas dessa maneira”, declarou o pesquisador.

Mesa de diálogo discute temáticas relevantes para a sociedade contemporânea

Em seguida, Carlos Henrique Neto falou sobre as áreas de pesquisa da tanatologia, que estuda o luto, e como o ser humano deve saber como vivenciar esse momento em sua vida. “O Ministério Público não pode se abster dessa discussão. Tenho percebido o órgão bastante atuante em várias causas sociais. E essa da prevenção do suicídio não pode ficar de fora. Nós podemos trabalhar não somente dentro da instituição, mas podemos ter as pessoas que compõem o órgão como aliadas no sentido de orientar condutas de outras pessoas. Assim, são várias as possibilidades de ação”, ponderou o psicólogo.

Após as exposições, os palestrantes responderam aos questionamentos do público presente. Por último, o professor Hugo Ferreira promoveu um momento de meditação.

A mesa de diálogo foi promovida pelos Centros de Apoio Operacional de Defesa da Saúde (CAODS); de Defesa da Educação e Cidadania (CAODEC); de Defesa da Infância e da Juventude (CAODIJ); Assessoria de Planejamento e Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional (CEAF).

Comentários