Geral

Mentor do estupro coletivo em Castelo é condenado a mais de 100 anos de prisão

Julgamento durou 18 horas e foi encerrado às 3h30 desta quarta-feira (28)
Fonte: Alinny Maria 28/02/2018 07:40
Adão José deixa o Tribunal após ser condenado a mais de 100 anos de cadeia Adão José deixa o Tribunal após ser condenado a mais de 100 anos de cadeiaFoto: Ronaldo Mota/Tribuna em Foco

Adão José Silva Sousa, 40 anos, mentor do estupro coletivo de quatro adolescentes em Castelo do Piauí, foi condenado pelo Tribunal do Júri a 100 anos, nove meses e 18 dias de prisão. O julgamento teve início nessa terça-feira (27), no Fórum de Castelo do Piauí, e terminou às 3h30 desta quarta-feira (28), tendo duração de 18 horas.

O julgamento foi presidido pelo juiz Leonardo Brasileiro. Depois os jurados, cinco mulheres e dois homens, se reunirem por duas horas na sala do júri. Adão foi condenado por homicídio e duas tentativas de assassinatos.

Relembre o caso

Na manhã do dia 27 de maio de 2015, quatro adolescentes foram ao morro do Garrote, na zona rural de Castelo do Piauí, para tirar fotografias para um trabalho escolar. Adão e mais quatro menores, atacaram as jovens, que foram amarradas, espancadas e estupradas. Depois de violentadas, as adolescentes foram jogaram de alto do morro, que tem mais de 10 metros de altura. As vítimas foram internadas no Hospital de Urgência de Teresina, mas uma delas, Danielly, faleceu no dia 7 de junho.

Os adolescentes foram condenados à pena máxima prevista no Estatuto da Criança e do Adolescente: três anos de internação no CEM (Centro Educacional Masculino). Um dos menores, Gleisson Vieira da Silva, foi morto pelos outros acusados de estupro de dentro de uma das celas do CEM.

Comentários