Polícia

Mãe da jovem morta pelo namorado: "estou sem chão"

Tenente do 2º BEC matou a namorada por ciúme, revela a polícia
Fonte: Paulo Pincel | Editor: Paulo Pincel 19/06/2017 15:45
Iarla Lima Barbosa, assassinada pelo manorado Iarla Lima Barbosa, assassinada pelo manoradoFoto: Arquivo pessoal

Professora em Governador Eugênio Barros (MA), Dulcinéia Lima da Silva, mãe de Iarla Lima Barbosa, 25 anos, assassinada a tiros na madrugada desta segunda-feira (19) pelo namorado, segundo tenente do 2º BEC, José Ricardo da Silva Neto, 22 anos, prestou depoimento no final da manhã de hoje, na Delegacia de Homicídios, no bairro Morada Nova, zona Sul de Teresina.

A mãe da jovem disse que "está sem chão". “Levaram um pedaço de mim. Como é que eu vou viver agora?", afirmou Dulcinéia Silva, que tinha recebido uma mensagem da filha pelo WhatsApp ontem (18), às 23h36. "eu te amo, meu amor", dito por Iarla à Dulcinéia.

A mãe da estudante que revelou detalhes do relacionamento da filha com o oficial do Exército, iniciado há pouco mais de uma semana. Iarla e Ricardo começaram a namorar o dia 12 - Dia dos Namorados.

Os dois já se conheciam da faculdade, onde a vítima fazia Arquitetura e seu assassino, Direito. O que começou com flores e declaração de amor apaixonada acabou em execução covarde, sem chance de defesa das vítimas. Além de Iarla, foram feridas a bala Ailana Lima Barbosa, 22 anos, irmã de Iarla, atingida de raspão na cabeça, e uma amiga, Joseane Mesquita, baleada no braço e na barriga.

Traumatismo craniano

Ailana permanece hospitalizada no Hospital de Urgência de Teresina, sedada e sob observação. O diretor do HUT, médico Gilberto Albuquerque, adiantou que a paciente está consciente e ficará em observação por 48 horas. "Ela sofreu lesão por projétil de arma de fogo no crânio, ocasionando um traumatismo leve. O quadro clínico é estável, está consciente e orientada", revelou

O corpo de Iarla Barbosa será levado para Governador Eugênio Barros, sua terra natal onde será velado e sepultado.

O assassino da universitária está internado num hospital particular de Teresina, depois de passar por cirurgia. Depois de matar a manorada e atirar na irmã e na amiga dela, o tenente do Exército foi para casa, levando o corpo da vítima no banco do carona. José Ricardo Foi para o apartamento e disparou contra a perna com a mesma pistola que usou para mater Iarla. Ele vai responder por homicídio doloso, com agravantes de motivo fútil e de não oferecer chance à vítima, além da tentativa de duplo homicídio.

Comentários