Brasil

Lula está bem, seguro da sua inocência e consciente de que sofre perseguição, diz o governador Wellington Dias

Lula recebeu o apoio de milhares de militantes do PT e dos movimentos sociais, além de governadores, deputados e senadores
Fonte: Correspondente do PH em Curitiba | Editor: Luiz Brandão 13/09/2017 15:41
Militantes que apoiam em marcha para o Centro de Curitiba após receber lula na Justiça Federal Militantes que apoiam em marcha para o Centro de Curitiba após receber lula na Justiça FederalFoto: Luiz Brandão

No início da tarde desta quarta-feira (13), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva chegou e 4ª Vara da Justiça Federal, em Curitiba (PR), muito tranquilo, seguro da sua inocência e consciente da vontade dos seus adversários de tirá-lo da disputa presidencial em 2018. A informação é do governador do Piauí, Wellington Dias (PT), que foi à Curitiba acompanhar e prestar apoio ao ex-presidente, que presta novo depoimento ao juiz Sérgio Moro.

De acordo com o governador do Piauí, Lula recebeu o apoio de milhares de militantes do PT e dos movimentos sociais, além de governadores, deputados e senadores que têm prestado permanente solidariedade ao ex-presidente.

O ex-presidente Lula recebendo o apoio dos petistas; ao fundo a senadora Gleisi Huffmam

O governador Wellington Dias destacou que logo após acompanhar Lula, os militantes e apoiadores do ex-presidente saíram da sede da Justiça Federal numa marcha democrática até a Praça Generoso Marques, onde Lula de falar logo que encerrar o depoimento.

"Eu e o governador Tião Viana (AC) e a presidenta do Partido dos Trabalhadores, senadora Gleisi Hoffman, conversamos com o presidente Lula pouco antes dele ir para depoimento em Curitiba. Estava bastante tranquilo, seguro da sua inocência, e consciente do quanto segue forte e que estão fazendo de tudo para tirar dele qualquer chance de poder ser candidato a presidente do Brasil em 2018", disse o governador Wellington Dias, que embarcou de volta ao Piauí no final da tarde,

O DEPOIMENTO - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva depõe na sede da Justiça Federal do Paraná, em Curitiba, no segundo processo a que responde no âmbito da Operação Lava Jato. Lula é acusado pelo Ministério Público Federal (MPF) de receber vantagens indevidas do Grupo Odebrecht para beneficiar a empreiteira em contratos com a Petrobras.

Segundo a denúncia do MPF, a Odebrecht comprou um terreno em São Paulo para a construção do Instituto Lula e uma cobertura em São Bernardo do Campo, vizinha ao apartamento onde o ex-presidente mora. Segundo a força-tarefa da Lava Jato, o valor das vantagens indevidas recebidas por Lula se aproxima dos R$ 13 milhões.

A DEFESA - A defesa do presidente Lula diz que ele está seguro e tranquilo porque nunca recebeu qualquer benefício financeiro ou material para ele e seus familiares nem durante o tempo que foi presidente e nem depois de deixar o mandato. “O ex-presidente Lula é vítima de uma caçada judicial e midiática para evitar que ele seja candidato a presidente do Brasil em 2018”, garante o advogado de Lula, Cristiano Zanin Martins.

Comentários