Política

Lula em pronunciamento: "provem uma corrupção contra mim e eu irei a pé ser preso”

"Vou me comportar como um cidadão indignado com as coisas que aconteceram e estão acontecendo nesse país”
Fonte: Redação | Editor: Paulo Pincel 15/09/2016 14:36 - Atualizado em 18/11/2016 04:12
O ex-presidente Lula falou sobre as denúncias do procurador em coletiva O ex-presidente Lula falou sobre as denúncias do procurador em coletivaFoto: Reprodução/TVT

"Provem uma corrupção contra mim ne eu irei a pé ser preso”, desafiou o ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, a falar hoje (15) à tarde, no auditório do Novotel Jaraguá, em São Paulo, em pronunciamento à imprensa, sobre as denúncias feitas pelo procurador da República Deltan Dallagnol, em coletiva convocada ontem, em Curitiba (PR). Dallagnol acusou o ex-presidente de ser o “comandante máximo” do esquema de corrupção investigado pela força-tarefa da Operação Lava-Jato, com foco no episódio do tríplex do Guarujá, no litoral paulista.

Sobre a reação à denúncia, lula disse que " é de um cidadão indignado com as coisas que aconteceram e estão acontecendo neste país. Penso que, neste país, tem pouca gente com a vida mais pública, mais fiscalizada que a minha (...) “Não vou fazer show de pirotecnia como fizeram ontem, não vou me comportar como ex-presidente da República, como cara perseguido, como se tivesse reivindicando algum favor. Vou me comportar como um cidadão indignado com as coisas que aconteceram e estão acontecendo nesse país”, afirmou Lula no começo do pronunciamento, transmitido pela TVT (TV dos Trabalhadores) e repetido po vários canais de TV abertas e fechadas.

Em vários momentos de sua fala, Lula pediu que respeitassem a sua família e chorou. Lula foi interrompido várias vezes pelos gritos dos presentes, que repetiam: “Lula, guerreiro!”.

Os principasis trechos do pronunciamento:

Indignação

“Não vou fazer show de pirotecnia como fizeram ontem, não vou me comportar como ex-presidente da República, como cara perseguido, como se tivesse reivindicando algum favor. Vou me comportar como um cidadão indignado com as coisas que aconteceram e estão acontecendo nesse país”

Ex-presidentes

“Juscelino foi vítima de mais inquéritos que eu. Não tenho a vocação de Getúlio para me dar o tiro, do Jango, para sair do Brasil. Portanto, se eles querem me tirar, vão ter que disputar comigo, na rua. Eles achavam que eu estava vencido. Não sangrei e fui reeleito em 2006 embaixo da maior baixaria eleitoral acontecida até então. Meu adversário com cara de santinho, estava nervoso. Eu me 'quedei' tranquilo e ganhei as eleições. Tenho consciência de que meu fracasso teria agradado meus adversários e não teria despertado tanto ódio com o PT. O que despertou a ira foi o sucesso do meu governo, a maior política de inclusão social desse país (...) Meu fracasso não teria despertado tanto ódio contra o PT. O que despertou a ira foi o sucesso desse governo".

Manifestações

"Se eles (a polícia) tratassem ladrão como tratam a molecada honesta que vai para rua, talvez não tivesse tanto ladrão. É uma vergonha jornalista ir para a rua de capacete".

Parcialidade

"A lógica é a manchete, não os autos de um processo, quem é que nós vamos criminalizar

Popularidade

"Só ganha de mim aqui no Brasil Jesus Cristo".

Triplex

"A desgraça de quem conta a primeira mentira é que é obrigado a passar a vida mentira. Eles inventaram que eu tinha coisas que não tenho. Quando eu transgredir a lei, me punam para servir de exemplo. Mas quando eu não transgredir, procurem outro para criar problema. Provem corrupção minha que eu irei a pé para ser preso (...) Me dedicaram um apartamento que eu não tenho, uma chácara que não é minha, disseram que eu sou o comandante maior. Eu não tenho provas, mas eu tenho convicção de que quem mentiu está numa enrascada".

Maior obra

“Eu não prometi o socialismo pra ninguém. Eu não prometi acabar com a luta de classe. Eu prometi que ao final do meu mandato, que se cada brasileiro tivesse almoçando e jantando no dia, eu teria realizado a obra da minha vida...Tenho orgulho de ter criado o mais importante partido de esquerda da América Latina”.

Educação

“Em 12 anos nós colocamos mais jovens na universidade do que eles colocaram num século. O ódio deles foi porque durante 200 anos eles não precisavam investir em educação, pois podiam ir pra fora pra estudar (…) Quando cheguei no governo falei que ‘aqui não vai se falar de gasto quando se falar em educação. Educação é investimento. Foi aí que fizemos essa quantidade de universidade, ProUni, escolas técnicas etc”.

Reeleição

“Eu tenho conhecimento que meu fracasso teria agradado ao meu adversário, mas o meu fracasso não teria despertado o ódio contra o PT (...) Eles achavam, que eu estava vencido. Teve um sociólogo que falou ‘deixa o lula sangrar, porque ele sangra e morre’. E eu fui reeleito”.

Cassação de Dilma

“(Deputados e senadores que votaram contra o impeachment) Tiveram comportamento exemplar. Eles podem ter perdido uma causa, mas não perderam a dignidade, não perderam a vergonha”.

A família atacada

“Não conheço os meninos (procuradores) que o fizeram (a denúncia), não sei se eles tem família como eu tenho. Mas eu respeitaria mais a família deles do que eles respeitaram a minha (...) Só quero que sejam honestos comigo, quero que me respeitem, que respeitem a dona Marisa”

Buscas em casa

“Pensam que foi fácil aguentar a PF na minha casa? Invadiram a minha casa. Olharam até embaixo do colchão pra ver se eu tinha ouro de Moscou ou dinheiro. (…) Entraram na casa dos meus filhos. Até os discursos que eu tinha escrito levaram do Instituto (Lula) e me devolveram as pastas vazias. Certamente pra me plagiar. Levaram os iPads dos meus netos. Cadê o iPad da Marisa? Que ela só usa o zapzap (sic) pra conversar com as amigas”.

Um pedido final

“Não pensem que eu estou desanimado, não pensem que eu estou sofrido, eu estou orgulhoso. Porque a perseguição a mim é por causa das coisas boas que conseguimos fazer neste país”.

Comentários