Política Nacional

Lorenzoni diz que Bolsonaro "se equivocou" sobre aumento do IOF

Presidente justificou a medida como compensação por isenção fiscal no Norte e Nordeste
Fonte: Reuters/Uol | Editor: Paulo Pincel 05/01/2019 09:00
O ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, concede entrevista O ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, concede entrevistaFoto: Daniel Marenco / Agência O Globo

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, disse nesta sexta-feira (4) que o presidente Jair Bolsonaro "se equivocou" ao dizer que haverá aumento da alíquota de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras). Segundo o ministro, não existe nenhum aumento previsto. O aumento da alíquota havia sido anunciado pela manhã por Bolsonaro, que justificou a medida como uma compensação da prorrogação de benefícios fiscais às regiões Norte e Nordeste.

"Quando o presidente falou alguns números, ele quis dar uma tranquilidade para as pessoas. Não vai haver uma ruptura, vai ser feita uma transição lenta e gradual, preservando o direito das pessoas, tendo um olhar humano para a reforma da Previdência. É isso que o presidente quis dizer", disse Onyx. Ele afirmou que "há absoluta unanimidade no governo" sobre a proposta de um modelo de capitalização, semelhante ao adotado pelo Chile, no qual cada trabalhador contribui para o seu próprio fundo de aposentadoria. Segundo Onyx, nesse momento, a equipe econômica trabalha na finalização de uma apresentação das propostas para o presidente, que deve ocorrer em até duas semanas.

Na entrevista coletiva com jornalistas, Onyx reclamou do que chamou de "vazamento" de um estudo, revelado por uma reportagem da "Folha de S.Paulo" nesta sexta. O jornal informou que o presidente avaliava elevar a alíquota do IOF para crédito pessoal para compensar a prorrogação de benefícios fiscais às regiões Norte e Nordeste. O ministro da Casa Civil prometeu "tentar identificar quem foi" quem forneceu a informação.

Comentários

Apoio: