Política

Limma rebate acusação da oposição com base em relatórios preliminares

O líder do Governo pediu mais responsabilidade ao colega Gustavo Neiva
Fonte: Alepi | Editor: Paulo Pincel 21/02/2019 14:29
Líder do Governo, deputado estadual Francisco Limma (PT) Líder do Governo, deputado estadual Francisco Limma (PT)Foto: Caio Bruno/Alepi

O deputado Francisco Limma (PT), líder do Governo na Assembleia Legislativa, rebateu as denúncias do deputado Gustavo Neiva (PSD), na sessão desta quinta-feira (21), sobre as "contas maquiadas" na atual gestão. Limma lembrou que os estados brasileiros, e também o Piauí, passam por graves dificuldades financeiras, mas que o governo tem feito todo esforço para que a situação não se agrave, como aconteceu com os estados do Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e outros.

“Só se pode julgar ou afirmar, quando estivermos no último grau de julgamento. Não negamos que estamos passando por dificuldades, mas não se deve fazer afirmativas sobre algo que ainda está em análise”, recomendou o deputado Francisco Limma, acrescentando que muitas vezes ocorreram críticas em relação ao governo, como o atraso no pagamento dos servidores estaduais, o que nunca aconteceu.

“Esse tipo de afirmação precisa ser feita com responsabilidade, porque as críticas são repercutidas na imprensa e depois de tudo esclarecido, fica claro que não era como foi dito, através de críticas”, defendeu.

O deputado Franzé Silva (PT) disse que o papel da oposição é de fiscalizar, mas com clareza e responsabilidade, sobretudo no que se afirma da tribuna. “Fico preocupado com as suposições de maquiagem nas contas públicas e os prejuízos que esse tipo de fala pode trazer para o Estado”, lamentou o parlamentar.

Franzé Silva disse ainda que a base governista não quer prejuízos para o Piaui e que acusações como as feitas pela oposição afastam empresários que poderiam investir no Piauí. “Nossa situação é difícil, mas em relação a outros estados, o Piauí está em uma posição bem mais confortável”, afirmou.

O deputado Francisco Limma enfatizou que é preciso que os questionamentos sejam feitos com bastante responsabilidade e apelou para que não exagerarem em denúncias, que as falas sejam sempre respaldada em provas e colocadas para o debate, antes de se tornarem acusações.

O parlamentar também falou sobre o Dia da Justiça Social, que segundo ele é um tema de grande importância para o Brasil. “A Justiça Social consiste no compromisso do Estado e da sociedade civil em buscar mecanismo para compensar as desigualdades geradas pelo mercado e pelas diferenças sociais”, explicou o deputado, acrescentando que é necessário que o Estado tenha suas responsabilidades e que o mercado possa contribuir com outras, mas que é a sociedade que deve provocar o debate sobre Justiça social.

Ao final, o deputado lembrou as ações realizadas pelo ex-presidente Lula, citado como grande líder, a pessoa que mais promoveu a justiça social no Brasil.

Comentários

Apoio: