Política

Líderes reclamam de "jogo sujo" de aliados com PMDB

Mauro Tapety participou de reunião na sede do PMDB: não vamos aceitar
Fonte: Paulo Pincel | Editor: Luiz Brandão 27/11/2017 16:40
Deputado estadual Mauro Tapety (PMDB)_ Deputado estadual Mauro Tapety (PMDB)_Foto: Paulo Pincel

O deputado estadual Mauro Tapety participou da reunião do PMDB, no começo da tarde desta segunda-feira (27), na sede do partido no bairro São João, em Teresina, quando o assunto “candidatura a vice-governador” foi colocado em discussão. O PMDB decidiu que não vai aceitar a imposição de outros partidos, como o Partido Progressista.

“Não aceitamos ingerência de outros partidos nas decisões do PMDB. Se houver pesquisa para candidato a vice-governador, tem que haver pesquisa para todos os cargos majoritários exceto o do governador Wellington Dias. Nós fizemos uma análise da situação atual dessa história de pesquisa,. Nós não aceitamos. Nós temos um compromisso de apoiar o governador e indicar um dos cargos na chapa majoritária, no caso o candidato a vice-governador, que é o presidente da Assembleia Legislativa, Themístocles Filho. não vamos aceitar.

O senador Ciro Nogueira tem repetido nas últimas entrevistas que a indicação da candidatura a vice-governador deve observar o que dizem as pesquisas de opinião sobre a aceitação desse ou daquele nome. Ciro defende que para ser To candidato a vice-governador, o presidente da Assembleia Legislativa, Themístocles Filho, precisa de uma aceitação maior que a da atual vice-governadora Margarete Coelho, do PP.

“Nós não aceitamos ingerência de outros partidos em cima de decisões do PMDB. Alguém vai ter que decidir, e quem tem que decidir é o governador, quem faz parte da chapa. Se os grupos decidirem que vai haver pesquisa para indicar a vaga de vice-governador, o PMDB decidiu que tem que haver pesquisa para indicar todos os cargos majoritários, exceto o do governador”.

O PMDB admitiu, pela primeira vez, que o partido pode seguir um rumo diferente em 2018. “Tudo depende da situação. A decisão de hoje não quer dizer que seja a mesma daqui para a convenção. Essa é o intuito, a intenção, a vontade, o desejo do PMDB, de continuar com a coligação, mas tudo depende de como vão tratar o PMDB. Nós acreditamos no governador, que é um homem que tem palavra. E nós acreditamos na palavra dele. Mas estão querendo jogar sujo com o PMDB e nós não vamos aceitar, nós não vamos aceitar", avisou Mauro Tapety.

Comentários