Entretenimento

Jornalista ataca Bolsonaro: Apoia ditador 'sanguinário' e 'corrupto'

Presidente citou Stroessner em discurso e gerou indignação de Míriam Leião no Twitter
Fonte: Noticias ao minuto | Editor: Redação 27/02/2019 16:04
Míriam Leitão Míriam LeitãoFoto: Reprodução

Míriam Leitão causou discussão no Twitter nessa terça-feira (26) ao chamar atenção dos usuários da rede social para o o ex-ditador paraguaio Alfredo Stroessner, publicamente admirado pelo presidente Jair Bolsonaro. Segundo a jornalista da "Globo", Stroessner foi "sanguinário", além de liderar "um governo corrupto".

"O ditador Stroessner foi sanguinário, tinha uma polícia política das mais violentas e era chefe de um governo corrupto. Ficou 35 anos no poder no Paraguai. Essa é a verdade sobre ele. O presidente Bolsonaro o admira, como disse hoje," escreveu Míriam.

Bolsonaro citou Stroessner em discurso na posse do general Joaquim Silva e Luna no cargo de presidente da usina de Itaipu, nessa terça.

"Isso tudo não seria suficiente se não tivesse, do lado de cá [paraguaio], um homem de visão, um estadista, que sabia perfeitamente que seu país, o Paraguai, só poderia prosseguir, progredir, se tivesse energia. Aqui também a minha homenagem ao nosso general Alfredo Stroessner”, disse o presidente.

O ditador Stroessner foi sanguinário, tinha uma polícia política das mais violentas e era chefe de um governo corrupto. Ficou 35 anos no poder no Paraguai. Essa é a verdade sobre ele. O presidente Bolsonaro o admira, como disse hoje.

No Twitter, houve quem atacou e quem defendeu a jornalista: "Vejo que ele elogiou um militar como ele, e que já até morreu, e a senhora que elogia um corrupto preso, ainda vivo que nem é jornalista como a senhora!", escreveu um usuário. "Hitler era militar e está morto. Vale elogiar ele tbm?", questionou outro.

Comentários

Apoio: