Política

Jeová Alencar diz sentir pena do "papelão" de Bandeira

Presidente da Câmara diz que Firmino age como um "imperador"
Fonte: CMT | Editor: Paulo Pincel 07/02/2018 18:00
prefeito Firmino Filho e vereador Jeová Alencar prefeito Firmino Filho e vereador Jeová AlencarFoto: Paulo Pincel

Tristeza e Pena: esses foram os sentimentos com que o presidente da Câmara Municipal de Teresina, vereador Jeová Alencar (PSDB), recebeu o Mandado de Segurança interposto pelo suplente de vereador Sérgio Bandeira (PSL) na 2ª Vara da Fazenda para anular a eleição da Mesa Diretora da Casa. A alegação é pifia, segundo o presidente.

“Vejo com muita tristeza. Tenho pena dele por esse papelão, por estar se deixando usar para uma vingança, uma mágoa e um rancor”, lamentou Jeová, atribuindo a Firmino Filho a manobra da ação na 2ª Vara dos Feitos da Fazenda Pública. “Firmino Filho se comporta como um imperador”, reagiu o presidente da Câmara, lembrando que o PSL foi chamado para compor a Mesa, mas o vereador Luís André não aceitou.

“O PSL está alegando a proporcionalidade da Mesa, mas, ele [Sérgio] teve a oportunidade, junto com o vereador Ricardo Bandeira, que é pai dele, e mais um assessor, de sentar conosco na semana que antecedeu a eleição. E o pai do Sérgio disse que tinha interesse de votar em mim, mas que iria viajar para Portugal. Ele até brincou que se caso precisasse adiaria a viagem para votar com a gente. Nós convidamos o vereador Luís André para fazer parte da Mesa, mas ele recusou. A vereadora Teresinha Medeiros não compareceu no dia para votar. Então, nós estamos muito tranquilos e tenho certeza que esse processo será arquivado”, crê o presidente.

Relação

Jeová Alencar também comentou como vai ser a relação com a prefeitura, depois desses fatos. “Sabemos da nossa responsabilidade e estamos aqui a disposição da Prefeitura para trabalharmos por uma Teresina melhor. Acho que essa novela eleição da Câmara já tinha que ter terminado. A eleição é um ato administrativo político/interno que só diz respeito aos vereadores e que foi feita na forma da lei. Tanto que não questionam o processo em si, questionam a proporcionalidade. Esta Casa é independente, altiva e tem seus vereadores independentes e que representam a sociedade. Isso não abrimos mão”, avisou.

Comentários