Política Nacional

Janot diz que estratégia de acusados é desacreditar quem combate a corrupção

Procurador-geral da República Rodrigo Janot defendeu o combate à corrupção de forma articulada
Fonte: PGR | Editor: Paulo Pincel 12/09/2017 23:04
Lançamento da campanha Lançamento da campanhaFoto: MPF

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, defendeu o combate à corrupção feito pelo Ministério Público e outras instituições que atuam de forma articulada. A afirmação foi feita nesta terça-feira, 12 de setembro, durante o lançamento da Campanha #TodosJuntosContraCorrupção, no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP).

“É preciso criar, em nosso país, uma cultura completamente avessa às práticas de corrupção, bem como conscientizar e engajar a população no cumprimento de seu papel fundamental de organização e mobilização contra esse quadro de patrimonialismo, fisiologismo e clientelismo que marca, infelizmente, o curso da nossa história”, afirmou o procurador-geral.

Para Janot, como resultado do esforço comum, os últimos anos revelaram um intenso e exitoso trabalho articulado contra a corrupção, cujos reconhecimentos – nos âmbitos nacional e internacional – tornaram-se evidentes. Segundo ele, “como não há escusas plausíveis para os fatos descobertos, a estratégia é tentar desacreditar, desconstruir a imagem dos agentes encarregados de combatê-la”.

Campanha - A campanha #TodosJuntosContraCorrupção é uma iniciativa da Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e Lavagem de Dinheiro (ENCCLA), que reúne mais de 70 órgãos e entidades em funcionamento no País. Por meio da denominada Ação 6 de 2017, coordenada pelo CNMP, a rede busca consolidar propostas de prevenção à prática da corrupção, fomentando a integridade social e a educação para a cidadania.

O objetivo é mobilizar a sociedade no combate à corrupção por meio de ações de conscientização e de projetos educacionais que contribuam para a formação de cidadãos mais conscientes, íntegros e engajados.

“A ideia de mobilizar o país em torno dessa proposta e ousada, mas necessária. Esse é um projeto de longo prazo. Para fazer efeito, terá que seguir adiante, por gerações. Para termos um país mais ético, decente, igual, justo é hora, portanto, de cuidarmos das nossas sementes do amanhã”, defendeu o procurador-geral em seu discurso.

Além de Rodrigo Janot, compuseram a mesa de honra o ministro da Transparência e Controladoria-Geral da União, Wagner Rosário; o presidente do Tribunal de Contas da União, Raimundo Carreiro; o secretário da Receita Federal do Brasil, Jorge Rachid; o controlador-geral do Distrito Federal, Henrique Moraes; o secretário nacional de Justiça do Ministério da Justiça, Astério Pereira; e o representante da Transparência Internacional, Fabiano Angélico.

Todas as peças de comunicação estão disponíveis no hotsite www.todosjuntoscontracorrupcao.gov.br e poderão ser baixadas e compartilhadas pelos cidadãos.

A página também trará orientações sobre como estabelecer parcerias para produção de cartazes, camisetas, banners e outras formas de divulgação do conteúdo.

Comentários