Economia

Investir em bitcoins: devemos confiar?

Criptomoedas e tecnologias de blockchain poderiam ser usadas na administração pública
Fonte: Sputnik Brasil | Editor: Redação 06/03/2018 08:02
Bitcoin BitcoinFoto: Reprodução

Nós últimos anos as criptomoedas têm se tornado um dos investimentos mais discutíveis entre os especialistas. Seu preço é instável, e alguns investidores não têm confiança no bitcoin e em outras moedas digitais. Especialista explica o que está por trás dessa falta de credibilidade.

"Muitos não têm confiança nas criptomoedas, mas, ao mesmo tempo, consideram que o blockchain é uma tecnologia de futuro. Entretanto, acredito que o blockchain e as criptomoedas são a mesma coisa. Esses dois conceitos são inseparáveis. Sem dúvidas, as criptomoedas são a força motriz do blockchain, mas a falta de credibilidade se baseia, principalmente, em um mal-entendido", explica Artyom Koltsov, chefe do Conselho de Especialistas em economia digital e tecnologias de blockchain do Parlamento russo, à Sputnik França.

"Quando me dizem que a criptomoeda é uma mera bolha financeira, sempre dou o exemplo do mercado de valores NASDAQ. A empresa Ford vende cerca de cinco milhões de carros anualmente, enquanto a Tesla apenas 70 mil, mas capitalização da Tesla é 30 bilhões (cerca de R$ 100 bilhões) maior que a da Ford. Trata-se de crença, as pessoas acreditam na Tesla e nas tecnologias. O mesmo se aplica ao bitcoin: os investidores confiam no bitcoin, o que faz com que seu preço cresça. Aqui não há pânico, tudo vai dar certo", opinou ele.

Para Koltsov, as criptomoedas e tecnologias de blockchain poderiam ser usadas na administração pública e no setor financeiro.

"Os bancos consomem 10% do PIB. Tudo poderia ser 10% mais barato. O capital é distribuído no mundo de forma desigual, é muito importante poupar esse dinheiro e o redistribuir em uma parte de planeta que precisa dele", disse ele.

"Quanto às novas criptomoedas, o bitcoin não deve ser subestimado. Parece-se com o ouro, uma espécie de ativo valioso que se utiliza para reserva", concluiu o especialista.

Em fevereiro de 2018, o bitcoin caiu abaixo de 6.000 dólares (cerca de R$ 20.000), devido à preocupação dos investidores sobre as restrições às criptomoedas por parte dos reguladores. Mais tarde, a moeda recuperou e se valorizou novamente para mais de 11.300 dólares (R$ 37.000).

Comentários