Geral

Primeira igreja de Teresina foi reformada, mas suas belas torres não

A Matriz de Nossa Senhora do Amparo é a mais antiga igreja da capital. Foi construída antes mesmo de Teresina
Fonte: Luiz Brandão | Editor: Luiz Brandão 07/04/2019 22:59
A Igreja do Amparo é um cartão postal de Teresina A Igreja do Amparo é um cartão postal de TeresinaFoto: Foto disponível na Internet

A Igreja Matriz de Nossa Senhora do Amparo, localizada bem no Marco Zero de Teresina, passou por uma ampla reforma que durou mais de cinco anos. A parte de baixo e a frente ficaram como o planejado.

Mas nem tudo foi reformado ou restaurado. Pelo menos por fora, é possível dizer que as duas belas e grandiosas torres neogóticas, que caracterizam a obra, ficaram fora. As torres foram construídas na década de 1950, no centenário de construção da igreja, época em que o Monsenhor Joaquim Chaves era o Vigário-Geral de Teresina.

Antes das obras a situação da estrutura da igreja era crítica. O teto era o principal perigo, porque poderia desabar qualquer momento. Mas tudo foi trocado, do teto ao reboco, ao piso e às instalações elétricas e hidráulicas.

Para se ter ideia da grandeza da reforma e preciso ressaltar que só de cimento foram usados mais de 20 mil quilos para restaurar e fortalecer as colunas e paredes, que ainda eram sustentadas pelo barro original da época da construção, por volta de 1852.

Imagem mostra necessidade de reforma nas torres

Imagem mostra que torres da igreja precisam de reforma

BELEZA ARQUITETÔNICA - Mas as torres, também precisam ser reformadas para, além da segurança, manter a beleza arquitetônica da obra que é um cartão postal da cidade e em bem pouco tempo estará completando seus 200 anos.

Hoje, é possível notar que a ação do tempo, do sol, dos ventos, da chuvas e de aves nas duas torres podem ser vistas do alto de prédios vizinhos à igreja, como os das sedes da Receita Federal e do INSS no Piauí. Em ambas é possível notar pequenas rachaduras, falta reboco ou outros revestimentos, acúmulo de sujeira, "fungos do lodo" e detalhes do acabamento das paredes quebrados.

Quem olha de baixo, a olho nú, não consegue notar "defeitos" nas torres da Igreja Matriz do Amparo. Do mesmo modo que, mesmo visto de cima, só pelo olhar ou por análises de fotografias não é possível afirmar que há problemas maiores nas estruturas das torres. Nesses casos, o melhor a fazer é pedir parecer técnico de profissionais da arquitetura e da engenharia.

HISTÓRIA - A Matriz de Nossa Senhora do Amparo é a mais antiga igreja da capital. Foi construída antes mesmo de Teresina. Foi inaugurada na celebração do primeiro Natal cidade.

Dados de historiadores e estudiosos disponibilizados na Internet, revelam que a pedra fundamental para construção da "Igreja do Amparo" foi lançada em 25 de dezembro de 1850 (celebração de Natal). Ao redor do local onde fica a Igreja foram construídas as primeiras casas da cidade.

Conforme registros guardados pela Arquidiocese de Teresina, dois anos após o lançamento da pedra fundamental, em 24 dezembro de 1852, a igreja foi inaugurada e elevada à categoria de Matriz da cidade, mesmo tendo ficado pronta apenas a capela-mor.

Considerado como o templo católico mais antigo da capital piauiense, a Igreja do Amparo, foi inaugurada e entregue à comunidade 131 dias depois da fundação de Teresina. Em 1851 chegou de Portugal a imagem de Nossa Senhora do Amparo, que se encontra até hoje no altar-mor da igreja.

Os católicos celebram o 16 de agosto como Dia de Nossa Senhora do Amparo. Ela é a santa padroeira da cidade de Teresina, que também comemora aniversário no mesmo dia.

LOCAL E DOAÇÃO - Contam historiadores que a capela-mor da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Amparo foi inaugurada em 24 de dezembro de 1852, no primeiro Natal de Teresina.

A igreja está localizada onde hoje é a Praça Marechal Deodoro. A obra foi tão importante que o então Imperador Pedro II, tido como "mão de vaca" contribuiu com um conto de réis para sua construção.

IMAGEM - A imagem de Nossa Senhora do Amparo, trazida de Portugal em 1850, foi levada em cortejo solene da pequena Igreja da Vila do Poty (o bairro Poty Velho de nossos dias), distante uma légua do novo templo.

CRUZEIRO - O atual cruzeiro de pedra situado em seu adro marca a localização da cruz de madeira ali ergida em 1850, quando do início de sua construção (o primeiro edifício a ser erguido na nova Capital), que serviu de referência para o traçado da cidade. As grandiosas torres neogóticas que a caracterizam foram construídas durante a década de 50 do século XX, quando de seu centenário, sendo o Vigário-Geral o Monsenhor Joaquim Chaves.

Comentários