Educação

Idioma: Brasil aparece em 41º no ranking de fluência no inglês

O vencedor mundial foi a Holanda, seguida pela Suécia e Dinamarca
Fonte: Brasil Escola | Editor: Redação 24/11/2017 09:03
Bolsa de Inglês Bolsa de InglêsFoto: www.diariodolitoral.com.br

A EF publicou recentemente a sétima edição da maior pesquisa sobre proficiência em inglês do mundo, listando os países com a melhor fluência no idioma tanto globalmente quanto por continente/região. O Brasil, infelizmente, não conseguiu um dos três primeiros lugares nem na América Latina. O vencedor mundial foi a Holanda, seguida pela Suécia e Dinamarca.

Veja o top 10 de países não anglófonos mais fluentes no inglês:

1. Holanda

2. Suécia

3. Dinamarca

4. Noruega

5. Singapura

6. Finlândia

7. Luxemburgo

8. África do Sul

9. Alemanha

10. Áustria

O maior número de países fluentes no inglês encontram-se na Europa, seguido da Ásia, com a Malásia e Filipinas em 13º e 15º lugar.

Brasil

O Brasil teve um resultado mediano, aparecendo quase na metade da lista em 41º lugar entre 80 países. Na América Latina, ele é o quarto, atrás da Argentina, República Dominicana e Costa Rica. O Uruguai ficou em quinto. A média brasileira mantem-se mais ou menos estável desde 2013.

Os cinco estados/regiões do Brasil com melhor fluência na língua inglesa:

1. Distrito Federal
2. Rio Grande do Sul
3. Paraná
4. São Paulo
5. Santa Catarina

A importância da língua inglesa

A língua inglesa é considerada universal. A proficiência nela significa atingir uma audiência muito maior, seja na educação, inovação, tecnologia, negócios, economia e em diversos outros campos.

Com certeza, no aspecto educacional, optar estudar em um destes países com fluência no inglês tem inúmeras vantagens. Estudar na Holanda ou Suécia, por exemplo, no topo da lista, significa que suas universidades terão mais opções de estudos ministrados em inglês e a sua população estará mais disposta a compreendê-lo, mesmo que você não fale o idioma nacional.

A Holanda oferece mais de 2.100 cursos lecionados em inglês. Na Suécia, país responsável pela invenção do Skype e Spotify, muitas empresas estabelecem o inglês como idioma oficial de negócios. O inglês é essencial para quem pretende ter uma carreira no exterior, como mostra este artigo.

Estudar em inglês em países não anglófonos

Em muitos casos, estudar nestes países não anglófonos pode ser ainda mais vantajoso. Além de fortalecer o inglês, você pode aprender um segundo idioma estrangeiro – o nacional –, sem contar que o custo pode ser mais barato do que em países como EUA e Reino Unido.

Este é o caso da Finlândia: dependendo da instituição e do curso, o estudante nacional pode pagar entre € 4.000 e € 12.000, uma média bem menor do que os destinos de estudo mais populares.

Comentários

Matérias Relacionadas