Saúde

Hospital Natan Portela é referência no atendimento de doenças infecciosas

Unidade estadual de saúde reforça o atendimento a pacientes da capital
Fonte: CCOM | Editor: Redação 27/08/2017 08:58
Hospital de Doenças Tropicais Natan Portela Hospital de Doenças Tropicais Natan PortelaFoto: Teresina Diário

Referência regional para diagnóstico e tratamento de doenças infecciosas, o Instituto de Doenças Tropicais Natan Portela (IDTNP) se configura como o principal centro de atendimento em saúde na capital. Por mês, o hospital estadual chega a atender até 1,5 mil pessoas a internar cerca de 90 pacientes, maioria deles (60%) advinda da rede municipal de saúde de Teresina.

O hospital público conta ainda com atendimento de terapia intensiva, com sete leitos de UTI que atendem pacientes com doenças infecciosas e não infecciosas, desde que não necessitem de intervenção cirúrgica. Doenças clínicas como AVC e diabetes descompensados também são atendidos na terapia intensiva do Natan Portela.

Além do atendimento especializado em infectologia, o instituto de doenças tropicais piauiense oferece atendimento em psicologia e nutrição, por meio de ambulatório de psicológico e nutricional. Outro serviço de saúde disponibilizado é o de acompanhamento neurológico. “Temos também a neurologia, voltada para pacientes com HIV para fazer os segmentos dos quadros neurológicos associados à imunodeficiência”, explica Elna do Amaral, médica infectologista e diretora-técnica-assistencial do IDTNP.

O atendimento em nefrologia, com tratamento em hemodiálise, e a tomografia computadorizada voltada para pacientes internados são outros benefícios oferecidos para quem é atendido pelo Natan Portela. De acordo com a diretora-técnica-assistencial do hospital, o IDTNP tem avançado na aquisição de equipamentos próprios. “Nos últimos dois anos tivemos a implantação da tomografia computadorizada, que antes nós fazíamos mediante um contrato terceirizado, agora nós já temos o nosso tomógrafo funcionando. Temos o nosso aparelho de ultrassom e endoscopia, que já tínhamos há algum tempo e também ganhamos a hemodiálise que antes era terceirizada”, destacou a médica infectologista, Elna Amaral, que prevê a abertura do atendimento em tomografia para a população em geral.

Os teresinenses são a maioria dos beneficiados pelo Natan Portela. “Os hospitais que funcionam como porta aberta encaminham pacientes com suspeita ou confirmação de doença infecciosa, como Aids, calazar, ou alguma outra doença que merece tratamento aqui no Natan. Teresina é beneficiada pelo funcionamento do Hospital que funciona na própria capital”, explica a diretora da unidade.

Capacidade para isolamento

Uma dos principais pontos fortes do IDTNP é sua estrutura de isolamento. Pacientes com doenças como a varicela e outras enfermidades que exigem isolamento podem ser abrigadas no hospital que tem o suporte de isolamento até mesmo para a UTI, quando necessário. Outros centros de saúde de Teresina não possuem essa capacidade.

“Na época da epidemia de ebola na África e do possível risco dele chegar ao Piauí, o Natan Portella ficou responsável por receber estes pacientes caso chegasse a acontecer. Nossos funcionários foram treinados, recebemos todo o equipamento de proteção necessário e já tínhamos os quartos destinados ao acompanhamento”, informou Elna Amaral. “Felizmente não foi necessário. Mas essa é a função do IDTNP. Estar pronto para atendimento de casos como esses”, afirmou.

Atendimento psicológico

Na área de atendimento psicológico, uma ação é focada nos pacientes portadores do vírus HIV. Intitulada de Grupo Adesão, a iniciativa dá suporte a soropositivos que encontram no grupo um espaço para diálogo e troca de vivências. O projeto de apoio que funciona no hospital é aberto também para pacientes de outros hospitais que convivam com o HIV e que podem ser encaminhados para a ação do instituto.

Pesquisa

Além da referência no diagnóstico e tratamento o IDTNP é baluarte na investigação científica de doenças infecciosas e novas doenças, que são chamadas de emergentes ou reemergentes, doenças que são descobertas ou que estavam sem registro recente.

A partir do investimento que o hospital faz em pesquisa e investigação, já foram notificados casos inusitados de patologias infecciosas, devidamente tratadas e controladas.“Temos toda uma equipe montada para fazer o atendimento ao paciente, fazer o diagnóstico, fazemos uma investigação minuciosa das doenças desconhecidas e nessas investigações descobrimos, por exemplo, a febre do Oeste do Nilo, que é uma doenças que o Brasil inteiro não tinha uma documentação de que ela existia no país e nós demos caso de alguns casos dessa febre aqui no Piauí”, informou a diretora-técnica do instituto.

O Natan Portella também é o principal centro para os casos dengue e casos graves de chikungunya, que comumente são encaminhamos para a unidade.

Comentários