Saúde

HGV fará mutirões de prevenção de Câncer de Mama e de Doença de Parkinson neste sábado (15)

O Hospital Getúlio Vargas (HGV) promove, neste sábado (15), dois mutirões simultâneos
Fonte: CCOM | Editor: Da Redação 14/10/2016 23:35 - Atualizado em 17/11/2016 05:27
Hospital Getúlio Vargas Hospital Getúlio VargasFoto: Ascom/HGV

O Hospital Getúlio Vargas (HGV) promove, neste sábado (15), dois mutirões simultâneos. Além do II Mutirão de Parkinson, que será no Ambulatório Integrado (Prédio Azul), a partir das 7h; o HGV também realizará uma ação cirúrgica de mastologia que beneficiará 27 mulheres com a retirada de nódulos mamários. A diretora-geral do HGV, Clara Leal, destaca que é uma forma do hospital colaborar com a Campanha de Sensibilização para o Câncer de Mama "Outubro Rosa".

O coordenador da Clínica Ginecológica do HGV, Pedro Vitor, acrescenta que são todos os casos de mulheres que apresentam nódulos palpáveis e acima de três centímetros, e que por isso precisam ser removidos. A previsão é de que as pacientes sejam liberadas no dia seguinte. ``O objetivo é acelerar o volume de cirurgias e, assim, reduzir a fila de espera, principalmente, como forma de prevenir o câncer de mama``, destaca Pedro Vítor.

Acompanhada da mãe, Marliete Santana, a jovem fisioterapeuta Raíssa Santana (23), da cidade de Assunção do Piauí, estava bastante animada e confiante já durante o processo de internação, que ocorreu na manhã de hoje (14). ``Eu esperava a cirurgia para o próximo ano. Felizmente aconteceu bem antes do que eu pensava. Esse tipo de ação é muito importante, pois irá resolver o problema de várias mulheres que estão na mesma situação que eu``, diz Raíssa.

Participarão da ação, os mastologistas Pedro Vitor, Patrícia Alexandra e Jaqueline Viana. O cirurgião oncológico Herbert Meneses e ginecologista Ione Maria Lopes. Além de dois anestesistas, enfermeiros, técnicos de enfermagem e pessoal de apoio.

II MUTIRÃO DE PARKINSON


As pessoas interessadas podem fazer o agendamento no próprio Ambulatório do HGV. A meta é realizar 150 atendimentos durante a ação, cujo diagnóstico consiste na avaliação clínica, baseado na história do paciente e nos sinais encontrados durante o exame neurológico.

Com início marcado para às 7 horas da manhã, o mutirão segue até o último paciente ser atendido. Além do atendimento neurológico, haverá orientações para os pacientes e familiares sobre reabilitação, risco de quedas e atividades físicas apropriadas.

O coordenador do mutirão, o neurologista Francisco Alencar, diz que o paciente não precisa de agendamento prévio e todos que comparecerem serão atendidos. É importante levar documento, CPF, Cartão do SUS e comprovante de endereço.

O Parkinson é uma doença neurológica lentamente progressiva, que afeta os movimentos da pessoa, causando tremores, lentidão de movimentos, rigidez muscular, desequilíbrio, além de alterações na fala e na escrita.

“A doença de Parkinson é devida à degeneração das células situadas numa região do cérebro chamada substância negra. Essas células produzem uma substância chamada dopamina, que conduz as correntes nervosas (neurotransmissores) ao corpo. A falta ou diminuição da dopamina afeta os movimentos do paciente”, explica Francisco Alencar.

Comentários

Matérias Relacionadas