Saúde

HGV é selecionado para integrar Projeto Paciente Seguro do Ministério da Saúde

A diretora-geral do hospital, CLara Leal, assina, nesta quarta (23), em Porto Alegre-RS, o termo de adesão ao projeto.
Fonte: Governo do Estado | Editor: Redação 22/11/2016 14:38
Reunião com técnicos do Ministério da Saúde onde foi definida a participação do HGV no projeto Reunião com técnicos do Ministério da Saúde onde foi definida a participação do HGV no projetoFoto: Ascom HGV

A diretora-geral do Hospital Getúlio Vargas (HGV), Clara Leal, assina, nesta quarta-feira (23), em Porto Alegre-RS, o termo de adesão ao Projeto Paciente Seguro, do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional (Proadi), do Ministério da Saúde, que será realizado com o Hospital Moinhos dos Ventos. O HGV participou da seleção com 70 hospitais das cinco regiões do país e foi selecionado dentre os 34 que realizaram as inscrições para fazer parte do projeto.

Para a diretora, esse é um momento de compromisso social de melhoria da qualidade e segurança da atenção à saúde. “A nossa participação no projeto significa se propor a desenvolver um trabalho inovador que assimile a Segurança do Paciente como meio de aprendizado e aprimoramento contínuo do cuidado e com melhoria que agrega à saúde”, destaca Clara Leal.

Para ela, o HGV foi selecionado porque preencheu todos os critérios técnicos, considerando número e perfil de leitos, localização geográfica, vínculo com o Sistema Único de Saúde (SUS) e pelo trabalho que desenvolve na implementação das seis Metas Internacionais de Qualidade e Segurança do Paciente.

Para a gerente de Enfermagem, Cecília Viana, o HGV, desde 2012, vem trabalhando a melhoria da qualidade com a implantação das Metas Internacionais de Segurança do Paciente com 100% dos pacientes identificados corretamente no momento da admissão; além da comunicação efetiva com o preenchimento do prontuário com todas as informações necessárias e um melhor diálogo entre as equipes, passagem de plantão escrita tanto do enfermeiro, quanto do técnico; melhoria da comunicação nos resultados de exames críticos. Como também a administração e controle de uso da medicação de alta vigilância que são perigosos ao paciente, os mesmos são identificados na cor vermelha, mesmo depois de dispensados da Farmácia.

Cecília Viana explica que os medicamentos são sublinhados de cor vermelha na prescrição também, chamando a atenção da equipe para evitar danos ao paciente.

Em relação à cirurgia segura, já foi implantada a marcação cirúrgica antes do paciente ir para o centro cirúrgico como medida de segurança para evitar erros na realização do procedimento, bem como, aplicação do time out quando o paciente chega ao centro cirúrgico para não ocorrer risco da realização de um procedimento errado no paciente errado.

A gerente de enfermagem explica ainda que o HGV tem avançado na implantação da higienização das mãos antes e após qualquer procedimento para a redução da infecção hospitalar.

A última meta que também merece destaque e que tem tido sucesso na sua implantação é a avaliação do paciente quanto ao risco de queda e lesão por pressão. “O paciente é avaliado e reavaliado durante todo o processo de internação com aplicação de medidas preventivas para que não caia e não adquira lesão por pressão. A família também participa do cuidado com orientações desde a admissão até a alta do paciente”, explica a gerente de enfermagem.

Participam do evento da assinatura do Termo de Adesão, em Porto Alegre-RS, além da diretora-geral do HGV, Clara Leal; o diretor-técnico, Ingrácio Amorim, e a assessora de Planejamento, Ana Célia Santos.

Comentários

Matérias Relacionadas