Saúde

HGV avança na adoção de metas de segurança do paciente

O Getúlio Vargas é um dos 15 hospitais no país selecionados para fazer parte do Projeto Paciente Seguro.
Fonte: CCOM | Editor: Redação 23/02/2017 12:28
HGV HGVFoto: Ascom/HGV

Uma equipe técnica do Hospital Moinhos de Vento, do Rio Grande do Sul, visita o Hospital Getúlio Vargas (HGV) para verificar os processos na área de segurança do paciente implementadas no hospital. O HGV é um dos 15 hospitais no país que foi selecionados para fazer parte do Projeto Paciente Seguro.

O objetivo é treinar profissionais e adotar mecanismos para melhorar o atendimento ao paciente, dentro do programa desenvolvido pelo Ministério da Saúde, por meio do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (PROADI-SUS).

A coordenadora nacional do Paciente Seguro, Elenara Ribas, diz que já tem verificado avanços no hospital em relação à segurança do paciente. "Estamos muito felizes em contar com essa parceria. Temos visto muitos avanços, uma equipe muito dedicada. Nesses dois dias de visita, temos acompanhado os processos dentro do hospital que exige uma qualificação do cuidado em saúde e uma mobilização muito grande de todos os profissionais", destaca Elenara.

A coordenadora do Núcleo de Segurança do Paciente do HGV, Nirvânia Carvalho, acrescenta que o hospital já está trabalhando as seis metas de segurança do paciente, onde uma equipe multiprofissional se reúne para conversar sobre a efetivação de cada meta. "A primeira meta, a identificação correta do paciente, o HGV implantou três pulseiras de identificação com os dois identificadores, o nome e a data de nascimento, sendo a branca que identifica todos os pacientes; a vermelha para aqueles pacientes que possuem risco de queda e a amarela para o paciente que pode desenvolver algum tipo de alergia”, explica Nirvânia.

Ela acrescenta ainda que, em relação à meta internacional sobre a Comunicação Efetiva, algumas medidas já foram adotadas, como a passagem de plantão e o registro das informações sobre as condutas dos profissionais, no prontuário do paciente. Em relação à meta sobre a administração correta do medicamento, “está se formando o piloto da farmácia clínica para melhorar a questão da prescrição, dispensação e administração dos medicamentos. Para isso, adquirimos carrinhos de medicamentos individuais e a medicação é preparada na presença do paciente, evitando a administração incorreta do medicamento".

A diretora do HGV, Clara Leal, explica que as metas internacionais de segurança do paciente têm sido adotadas no Getúlio Vargas desde 2012, com o inclusão do hospital no processo de Acreditação, por meio do Consórcio Brasileiro de Acreditação (CBA), e que “a adoção das metas tem proporcionado uma melhor segurança e qualidade no atendimento ao paciente, evitando erros que podem ocasionar óbitos e ainda resultar em custos elevados”, explica Leal.

Comentários

Matérias Relacionadas