Mundo

Hamas diz que irá manter ataques contra cidades israelenses

O aviso do Hamas foi divulgado poucas horas depois do disparo de um foguete a partir de Gaza que atingiu território israelense
Fonte: Noticias ao minuto | Editor: Redação 13/11/2018 08:43
Imagem ilustrativa Imagem ilustrativaFoto: Reprodução

O braço armado do Hamas afirmou nesta terça-feira (13) que irá manter os disparos de lança-foguetes contra as cidades israelenses de Ashdod e Beersheba se Israel continuar a bombardear Gaza.

O aviso do Hamas foi divulgado poucas horas depois do disparo de um foguete a partir de Gaza que atingiu território israelense e matou um habitante da cidade de Ashkelon.

O foguete palestino foi disparado depois de um ataque aéreo israelense contra o edifício da televisão de Gaza.

Um porta-voz da ala militar do Hamas, identificado como Abu Obeida, diz em comunicado que Ashkelon "entrou no raio de ação do fogo israelense" e que a ação é uma resposta aos "bombardeios que atingem os edifícios de Gaza".

O mesmo documento indica que a cidade de Beersheba vai ser o "próximo alvo do Hamas" se "o inimigo" (Israel) continuar a atingir edifícios civis. Os alertas antiaéreos continuam ativos nas comunidades israelenses periféricas a Gaza desde o princípio da tarde de segunda-feira (12).

O Exército de Israel indicou que, até ao momento, foram lançados mais de 400 projéteis a partir de Gaza e foram registrados 150 ataques de "represália" contra posições palestinas. "Estamos perante uma 'chuva de foguetes' lançada contra civis israelenses. O Exército está a atacar as infraestruturas terroristas do Hamas", disse o tenente-coronel Jonathan Conricus durante uma conferência de imprensa.

O oficial acrescentou que se trata do "ataque mais grave das organizações terroristas de Gaza contra civis israelenses". Aviões de combate e blindados israelenses atacaram durante a noite "várias infraestruturas", como armazéns, fábricas de armas e um túnel, além da sede da televisão Al Aqsa (que pertence ao Hamas) e instalações dos serviços de informações e da segurança interna de Gaza, tendo morrido quatro pessoas.

De acordo com fontes médicas palestinas, quatro pessoas morreram e pelo menos dez ficaram feridas na sequência dos bombardeios israelenses.

O porta-voz militar israelenses acrescentou que as milícias do Hamas e outros grupos armados palestinos têm mais de 20 mil foguetes e granadas de morteiro no arsenal de Gaza, sendo que "alguns" são de médio alcance e podem, eventualmente, atingir Tel Aviv e Jerusalém, a dezenas de quilômetros de Gaza.

Comentários