Esportes

Guerrero tem pavio curto e é perseguido por isso

Contra o Coritiba, Paolo Guerrero fez o quarto gol dele pelo Flamengo
Fonte: Globo Esporte | Editor: Paulo Pincel 01/08/2016 10:34 - Atualizado em 05/11/2016 02:48
Luccas Claro e Guerrero discutem em campo Luccas Claro e Guerrero discutem em campoFoto: Giuliano Gomes/ Agência PR PRESS

Contra o Coritiba, Paolo Guerrero fez o quarto gol dele pelo Flamengo no Campeonato Brasileiro, o terceiro jogo seguido sem passar em branco. Mas o camisa 9 também saiu de campo com um cartão amarelo, o quinto dele na competição - continua tendo mais cartões do que gols. O técnico Zé Ricardo considera que o atacante está em evolução, mas anda preocupado e incomodado com os picos de irritação do peruano.

Na vitória por 2 a 0 sobre o Coxa, Guerrero recebeu amarelo no primeiro tempo. Numa disputa de bola aos 27 minutos, caiu com a mão no rosto e, muito exaltado, logo se levantou para tirar satisfação com o zagueiro Luccas Claro. Ambos foram punidos com cartão amarelo. Pouco antes, Guerrero e Luccas haviam se enroscado em outra jogada. Em ambas, as imagens mostram que o defensor do clube paranaense deixou o braço.

- Falei com ele no intervalo, falei que era importante ele estar com a cabeça no lugar, tentar fazer os 45 minutos finais sem dar ouvido a provocações, estar com a cabeça no lugar, tentar. Acabou sendo fundamental na vitória. Teve uma chance, finalizou, é isso que a gente quer - disse o técnico.

Na análise de Zé Ricardo, os adversários têm tirado proveito dessas reações de Guerrero. Provocá-lo, na visão do técnico, virou um recurso dos rivais.

- Ele é visado por causa disso. Essas reações dele são recorrentes. Percebi que a reclamação foi muito acintosa. Não sei se houve o toque ou agressão. O jogo foi muito limpo em relação a isso. Mas a reação dele foi acintosa demais.

Na saída do estádio Couto Pereira, Guerrero se justificou. Disse que ficou irritado por sentir que houve maldade no lance, já que ele e Luccas já não disputavam mais a bola.

- Não é justo. É o que eu falo: se for com bola, tudo bem, acontece. Mas já tinha passado a jogada. Por isso me irritei tanto. Tomei uma cotovelada depois que passou a jogada. Teve o cruzamento, eu não cheguei na bola, passou a bola, e ele me deu uma cotovelada. Não foi uma briga pela bola. A bola passou e sem nada ele me deu uma cotovelada ou um soco. Senti nessa parte do rosto (aponta para a maçã esquerda da face).

Desde que chegou ao Flamengo, no ano passado, Guerrero fez 47 jogos e marcou 17 gols. O número de cartões amarelos, no entanto, ainda é grande. Foram 19 até aqui.

O Flamengo tem 30 pontos e está em quinto lugar. O próximo jogo será na quarta-feira, contra o Santos, em Cuiabá. O Peixe é o vice-líder, com 32.

Comentários